Governo do Amazonas dobra número de respiradores no interior para atender às vítimas da COVID-19

Governo do Amazonas dobra número de respiradores no interior para atender às vítimas da COVID-19

Os 61 municípios receberam mais de 2,6 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), 74,5 mil testes rápidos, conforme último balanço da Central de Medicamentos do Amazonas (Cema). O número de respiradores no interior dobrou durante a pandemia, saindo de 65 para 130. Foram enviados 47 respiradores por aquisição da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e do Ministério da Saúde, sendo 15 para Tabatinga, oito para São Gabriel da Cachoeira, três para Itacoatiara, três para Manacapuru, dois para Rio Preto da Eva e dois para Tefé. Juntas, as localidades reúnem 403 mil habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os municípios de  Maués, Boa Vista do Ramos, Iranduba, Santo Antônio do Içá, Autazes, São Paulo de Olivença, Careiro Castanho, Manaquiri, Presidente Figueiredo, Boca do Acre, Itapiranga, Carauari e Silves receberam um aparelho cada.

 
O Governo do Estado acaba de adquirir 27 respiradores, e vai distribuir os equipamentos entre os municípios conforme os dados epidemiológicos e estrutura da unidade. Em abril, foram enviados 44 monitores multiparamétricos e 134 colchões hospitalares ao interior.
 
“Hoje, por exemplo, em Tabatinga temos 22 leitos com respiradores para Covid-19, em Parintins temos  seis, Manacapuru tem cinco, Itacoatiara tem três, e assim a gente vem a ter alguns pulverizados nos municípios”, disse o secretário de interior da Susam, Cássio Espírito Santo.

Hospital Delphina Aziz atinge 350 leitos prontos para tratamento de pacientes de Covid-19

Hospital Delphina Aziz atinge 350 leitos prontos para tratamento de pacientes de Covid-19

O Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz, unidade de referência no tratamento de pacientes confirmados e suspeitos de Covid-19, localizado na zona norte de Manaus, alcançou, neste sábado (02/05), a capacidade completa de 350 leitos, entre clínicos e de terapia intensiva.

Dos 350 leitos, 35 estão prontos para funcionamento e aguardam a chegada, prevista para a madrugada de segunda-feira (04/05), de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas enviados pelo Ministério da Saúde para atuar no atendimento às vítimas do coronavírus em Manaus. A primeira equipe soma 30 profissionais.

No início da noite de sexta-feira, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) também enviou para a unidade dez respiradores invasivos, utilizados em leitos de UTI, e um respirador de transporte, que também foram doados ao Amazonas pelo ministério.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Governo do Estado conseguiu ampliar em 166,7% o número de leitos do Hospital Delphina Aziz, que antes contava com 132 leitos, dos quais 50 eram de UTI.

Com isso, o Governo do Amazonas consegue desafogar parte do fluxo de pacientes que estão sendo atendidos nos Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Foto: Divulgação/Secom

No AM, Sindicato nega paralisação de hospital, cita falta de EPIs, e Susam mostra documentos

No AM, Sindicato nega paralisação de hospital, cita falta de EPIs, e Susam mostra documentos

MANAUS – A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde do Amazonas (Sindpriv), Graciete Mouzinho, negou que os enfermeiros do Hospital Pronto Socorro 28 de Agosto, na zona Centro-Sul de Manaus, planejem parar o atendimento aos pacientes nesta segunda-feira, 27, e falou que haverá um ato de protesto por deficiência de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais da unidade hospitalar.

A paralisação no ’28 de Agosto’ foi disseminada nas redes sociais e classificada de fake news – notícia falsa – pelo governo do Amazonas. A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou que não há falta de EPIs para os profissionais do hospital e apresentou protocolos diários deste mês com os registros de entregas dos equipamentos de proteção aos funcionários da unidade hospitalar. A REVISTA CENARIUM divulga parte da documentação abaixo.

Questionada sobre a situação dos equipamentos de proteção aos profissionais do ’28 de Agosto’, a presidente Sindpriv insistiu na falta de segurança dos profissionais. “Tem que haver EPIs para todos, chegar na mão dos profissionais e durar um dia ou uma semana. Tem que ser até a pandemia acabar”, disse.

Graciete informou que o horário escolhido para o ato de protesto no Hospital 28 de Agosto é durante a troca de turnos pela manhã, por volta das 7h. “Isso ainda não é uma paralisação”, afirmou a sindicalista.

Funcionário polêmico

Durante o fim de semana, o técnico de enfermagem efetivo do Hospital 28 de Agosto, Gerson Mauro Nunes Bastos, fez viralizar na internet um vídeo na qual ele aparece com os pés cobertos por sacos plásticos, alegando que a Susam não estava fornecendo material de proteção aos profissionais da unidade hospitalar e disse que haveria paralisação no hospital nesta segunda, 27. Procurado pela REVISTA CENARIUM nas redes sociais, ele não respondeu.

A reportagem obteve informações e documentos de que Gerson costuma faltar o trabalho, antes mesmo da pandemia da Convid-19 iniciar no Amazonas. O hospital é uma das unidades que tem portas abertas para a admissão de pacientes com sintomas de COVID-19 e, por ser uma das maiores do Estado, tem recebido, sistematicamente, EPIs de modalidades diversas, segundo a Susam.

De acordo com funcionários que trabalham no ’28 de Agosto’, os EPIs são entregues pessoalmente aos profissionais em ocasiões programadas. Como Gerson Mauro faltou ao trabalho dez dias este mês, sem justificativa, e outros sete com a apresentação de atestado médico, ele não compareceu para receber as máscaras N95.

Sobre a falta de EPIs, um vídeo gravado por uma funcionária do hospital, que entrou em contato com a reportagem, mostra que foram entregues pela Central de Medicamentos (CEMA), no dia 24 deste mês, 1,6 mil aventais cirúrgicos, sete mil máscaras de modelos variados e 100 ‘face shield’ (protetores faciais/viseiras). A profissional tomou a iniciativa por repudiar a postura do técnico, que compromete a equipe de enfermagem.

Sempre ausente

Outra informação repassada à REVISTA CENARIUM é que a entrega de máscaras e demais EPIs aos setores é assinada e protocolada na unidade hospitalar, para melhor controle e uso racional dos equipamentos. Em abril, pelo menos em sete datas diferentes, ocorreu a reposição dos produtos. Dias 5, 6, 7, 8, 10, 11 e 14. Desses, apenas nos dias 11 e 14, Gerson estava no hospital. Nos demais dias, ele estava ausente amparado em atestado médico ou sem apresentar justificativa.

Um documento assinado pelo próprio técnico de enfermagem no dia 23 de março mostra que ele estava inserido na lista de profissionais para a solicitação de reposição de máscaras N95. A reportagem não obteve retorno de Gerson Nunes até o fechamento da matéria neste domingo, 26.

(*) Com informações da Assessoria de Imprensa da Susam

Fonte: Revista Scenarium

Governo do Amazonas adota aplicativo para monitoramento de pacientes com Covid-19 em isolamento domiciliar

Governo do Amazonas adota aplicativo para monitoramento de pacientes com Covid-19 em isolamento domiciliar

A partir desta segunda-feira (06/04), pacientes do Amazonas com diagnóstico positivo para o novo Coronavírus (Covid-19) e que estão em isolamento domiciliar, passam a ser monitorados por meio de aplicativo para telefone celular. A finalidade é intensificar o acompanhamento do quadro evolutivo desses pacientes por parte das autoridades em saúde até a plena recuperação. Batizado de “Juntos no combate ao Covid-19”, o APP se destaca por reunir, num único canal, um conjunto de serviços essenciais aos cidadãos visando combater a disseminação da doença.

O aplicativo foi apresentado hoje durante live sobre dados do novo Coronavírus no Amazonas, transmitida nas redes sociais do Governo do Estado, com a participação do secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, da diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary da Costa Pinto, e de Toshizo Borborema Nakajima, gerente de Relações Institucionais da SASI elecomunicação Ágil Ltda, parceira no desenvolvimento do APP.

Além de informações gerais de prevenção e formas de contágio sobre o Covid-19, tendo como fonte principal o site oficial do Governo do Amazonas, o aplicativo dispõe de uma série de funcionalidades. Uma das mais relevantes é permitir que pacientes com testagem positiva para o Covid-19 mantenham contato com profissionais de saúde a fim de que possam relatar sobre a sua condição.

O acompanhamento ocorrerá por meio de um canal de telemedicina, em que médicos das redes pública e privada farão atendimento virtual. Em caso de algum agravamento do quadro, o paciente poderá acionar um botão de alerta na própria plataforma. Este serviço também estará disponível para o restante da população. Com isso, espera-se evitar a sobrecarga de demanda em unidades de saúde e ainda, possibilitar o atendimento especializado, principalmente, no caso de moradores de municípios distantes da capital.

Canal de atendimento online – A plataforma também conta com um chat de atendimento, no qual pessoas que tenham sintomas da doença podem interagir com estudantes de Medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para tirar dúvidas e receber informações. Os estudantes que participam do projeto são orientados por professores do quadro docente da unidade de ensino superior.

O aplicativo possui um serviço de aviso de isolamento domiciliar por meio do qual são enviadas orientações, que pode ser usado por pessoas com testagem positiva do coronavírus e por recém-chegados à capital amazonense, que necessitam entrar em quarentena.

Adicionalmente, a plataforma dispõe de um serviço abrangente de cadastro tanto para os segmentos já atendidos e monitorados pelo sistema de saúde quanto para a população em geral. Há, ainda, um canal de notícias oficiais dos órgãos do Governo do Estado para divulgação de informações à população e combate a fake news. O “Juntos no combate ao Covid-19” está disponível para smartphones com sistemas operacionais Android e iOS.

Segundo a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Pinto, a adoção do aplicativo também será importante no sentido de resguardar os profissionais da área. Atualmente, este acompanhamento é feito por técnicos da Vigilância Epidemiológica da FVS e da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa-Manaus). “Havendo sinal de gravidade, esses pacientes serão encaminhados para a rede (de Saúde)”, frisa a diretora-presidente.

O diretor-geral da SASI Telecomunicação Ágil Ltda, Yoram Yaeli, ressalta a importância do uso efetivo deste aplicativo, uma vez que possui como diferencial justamente o fato de ser um aplicativo popular, com a característica da centralização de serviços e informações que atendam a necessidade da população neste momento. Segundo ele, até então, tem conhecimento de plataforma semelhante em uso apenas na China.

O secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, agradeceu todos os envolvidos no desenvolvimento e na operação do aplicativo, incluindo a SASI, o Instituto Transire, a Samel, a Universidade do Estado do Amazonas e aos profissionais da rede estadual de saúde.

“Quero agradecer médicos, enfermeiros e psicólogos, que vão fazer parte desse aplicativo para fazer a telemedicina, porque esse é um recurso que nesse aplicativo o cidadão vai ter condição de falar com o médico em tempo real e também com as equipes de tecnologia da informação, tanto da área da saúde quanto da Fundação de Vigilância em Saúde. Esses são os grupos de pessoas e instituições que fizeram com que esse recurso tecnológico pudesse aproximar as ações do Governo do Estado dos cidadãos amazonenses que precisam desse atendimento”, destacou Rodrigo Tobias.

Foto: Rodrigo Santos / Secom

Amazonas tem 32 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19)

Amazonas tem 32 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19)

O Amazonas registra nesta segunda-feira (23/03) 32 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) e 20 casos em investigação. Nas últimas 24 horas, houve seis novos casos diagnosticados pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen).

A atualização dos números foi divulgada durante coletiva de imprensa on-line concedida pelo secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias de Sousa, e pela diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto.

Segundo a diretora-presidente da FVS-AM, dos 32 casos confirmados, apenas três estão internados. Um deles em uma unidade de saúde particular, e dois no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, que é a referência na rede estadual para atendimento de pacientes graves de Covid-19. Os demais 29 pacientes estão em isolamento domiciliar.

Rosemary ressaltou que em 90% dos casos os pacientes foram infectados fora do Amazonas. A diretora-presidente da FVS-AM informou ainda que, dos 32 casos, apenas um é oriundo do interior (Parintins), que é o caso que já havia sido divulgado no domingo (22/03).

De acordo com a FVS-AM, os pacientes diagnosticados com o novo coronavírus no Amazonas têm idades entre 10 e 83 anos.

Hospital exclusivo – O secretário estadual de Saúde ressaltou a mudança no perfil de atendimento do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, que esta semana passa atender somente casos graves de Covid-19, de forma regulada. Isso significa que a unidade fecha as portas para os demais atendimentos de urgência e emergência.

“A população que procurava o hospital Delphina Aziz, na zona norte, deve agora procurar os SPAs (Serviços de Pronto Atendimento) distribuídos na cidade, e também os demais hospitais e prontos-socorros”, disse Rodrigo Tobias. A UPA Campos Sales fica como referência para os atendimentos de rotina do Delphina.

A diretora-presidente da FVS-AM reforçou o pedido para que as pessoas só saiam de casa em casos de extrema necessidade, inclusive para unidades de saúde.

“Nós mesmos estamos solicitando que qualquer pessoa que tenha sinais de gripes ou resfriados mais leves, que essa pessoa permaneça em casa, que não vá às unidades de saúde, que não saia, que fique em isolamento, porque ela pode ter o novo coronavírus ou então um outro vírus respiratório que também é transmissível. Portanto, se as pessoas ficarem em casa, elas vão diminuir a circulação de todos esses vírus respiratórios”, orientou a diretora-presidente.

Agradecimento à população – Rosemary Pinto elogiou a adesão da população às orientações de prevenção à disseminação do vírus, como a necessidade de isolamento social.

“Quero aproveitar para agradecer o apoio da população. Nós temos percebido, realmente, as pessoas se resguardando, todos aqueles que podem ficando em casa, e isso é realmente muito importante. A nossa parte em controlar uma grande epidemia é isso, é ficar em casa, se isolar. A única medida real que podemos fazer, além de lavar adequadamente as mãos, é permanecer em casa”, disse Rosemary Pinto.

Durante a coletiva, Rodrigo Tobias informou como a rede de assistência do Estado atua quando se identifica casos graves de Covid-19 no interior.

O secretário explicou que a Susam está preparando salas de estabilização de casos graves em oito municípios-polos, além da cidade de Boca do Acre.

Uma vez estabilizado, o paciente é transferido para Manaus por meio do serviço de UTI aérea do Governo do Amazonas. Foi o que ocorreu com o caso de Parintins, explicou Rodrigo Tobias.

“É importante dizer que toda a estrutura de saúde do Estado do Amazonas, capital e interior, está preparada para poder reconhecer os casos de coronavírus, e identificando os casos graves que são removidos para o Delphina Aziz, em Manaus”, afirmou o titular da Susam.
EPIs nas unidades de saúde – O secretário também reforçou que a rede de saúde estadual está abastecida com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais e pacientes, e aguardando a remessa de novas aquisições para os próximos três meses, que estão chegando tanto por meio de compras feitas pelo Estado como pelo Ministério de Saúde.

Rodrigo Tobias destacou que os EPIs variam de acordo com o nível de atendimento oferecido pelas unidades.

“Nós estamos recebendo 250 equipamentos de proteção individual para aqueles profissionais que vão tratar diretamente os pacientes confirmados e com casos graves dentro do Delphina. Esses equipamentos estão chegando do Ministério da Saúde e, a partir do dia 25, nós já temos esses equipamentos de proteção individual para esses profissionais, sejam médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem do Delphina Aziz que estão devidamente paramentados para fazer esse cuidado”, disse o secretário, destacando que universidades e empresas privadas estão colaborando com ações que visam ajudar na produção de equipamentos de segurança para os profissionais de saúde do Estado.

Rosemary Pinto destacou que órgãos como o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) têm normas específicas que definem os tipos de EPIs e as condições em que eles devem ser utilizados pelos profissionais de saúde para cada procedimento.

“A Anvisa e o Ministério da Saúde têm especificações muito seletivas a respeito do uso de máscaras. O recomendado é que o profissional de saúde no atendimento de rotina use essas máscaras cirúrgicas comuns. As máscaras N95 são específicas para quem vai, quem pode receber gotículas de saliva durante um procedimento, por exemplo, de entubação. Esses profissionais que estão atuando dentro de UTIs têm acesso às máscaras N95, não temos falta dessas máscaras para essas situações específicas”, ressaltou a diretora-presidente da FVS-AM.

Cuidado com notícias falsas – Rodrigo Tobias destacou também a importância da população buscar fontes de informações seguras e oficiais sobre a doença. O secretário de Saúde lembrou que passar adiante notícias falsas só prejudica o trabalho das autoridades no combate à pandemia.

“Não caiam em fake news. Uma delas, é importante dizer, que está viralizando nas redes sociais, de que a tomografia do hospital Delphina Aziz está quebrado. Venho a público dizer que o tomógrafo não está quebrado, e aqueles que estão divulgando essas notícias, na verdade, não estão fazendo nenhum favor em prol da saúde do Amazonas, ao contrário, estão criando muitos problemas. Nesse momento, a gente precisa nos unir e não divulgar notícias falsas para provocar mais pavor na população”, afirmou Rodrigo Tobias.

FOTO: Michell Mello/Secom

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam): 98407-1699. E-mail: [email protected]

Wilson Lima determina o fechamento de bares e restaurantes para combater a proliferação do novo coronavírus

Wilson Lima determina o fechamento de bares e restaurantes para combater a proliferação do novo coronavírus

O governador do Amazonas, Wilson Lima, usou suas redes sociais, neste sábado (21/03), para anunciar que determinou o fechamento de bares e restaurantes, em mais uma ação do Governo para conter a propagação do novo coronavírus (Covid-19). Ele também condenou a ação de pessoas irresponsáveis que estão espalhando fake news relacionados ao Covid-19 no Estado, levando pânico à população.

Confira o vídeo abaixo: 👇🏻

“Nós estamos tomando medidas que, em algum grau, são duras mas que são necessárias para proteger a nossa população. Hoje, por exemplo, estou determinando o fechamento de bares e restaurantes, e a nossa polícia vai estar na rua, juntamente com o pessoal da FVS (Fundação de Vigilância em Saúde) para acompanhar o cumprimento dessas decisões. Não volto atrás de nenhuma decisão que eu tomei, porque todas foram tomadas com o objetivo de proteger o cidadão”.

Entre as medidas já anunciadas pelo Governo para evitar a proliferação do novo coronavírus no Estado por meio da aglomeração de pessoas, estão a suspensão, por 15 dias, das aulas em todos os municípios do Estado, bem como das atividades em academias de ginásticas e similares e dos serviços de transporte fluvial de passageiros.

Fake News – Durante seu pronunciamento, o governador condenou a ação de pessoas que estão se aproveitando da situação de calamidade mundial causada pelo novo coronavírus para propagar Fake News. “Nós estamos trabalhando com absoluta transparência, inclusive todos os dias fazemos uma live para atualizar todos os casos suspeitos e casos confirmados aqui no Estado. Agora, tem gente agindo de forma covarde e criminosa divulgado vídeos, áudios que não condizem com a realidade, com o objetivo de, simplesmente, causar mais pânico na população”, afirmou.

“Nós não vamos permitir que isso aconteça. Já identificamos algumas dessas pessoas, a nossa PGE (Procuradoria Geral do Estado) já está acionada e vai acionar a Justiça para punir com todo rigor as pessoas que agem dessa forma. Tudo o que nós estamos fazendo no estado é de forma transparente”, destacou Wilson Lima.

Governo do Amazonas começa a distribuição de vacinas para a campanha contra a Influenza

Governo do Amazonas começa a distribuição de vacinas para a campanha contra a Influenza

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) recebeu neste fim de semana as primeiras doses de vacina para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que inicia na próxima segunda-feira (23/03) e vai até 22 de maio de 2020. Na manhã dessa segunda-feira (16/03), o governador Wilson Lima esteve na Susam para acompanhar o início da distribuição de vacinas para a capital e municípios.

Na programação da coordenação estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI), além de Manaus, os municípios de Autazes, Maués, Humaitá, Jutaí e Anori, estão programados para receber as primeiras doses nesta segunda-feira. Durante toda a semana outros municípios estarão retirando seus lotes na Susam para iniciarem a vacinação contra a gripe.

De acordo com o governador, o primeiro lote de vacinas é para atender ao público acima de 60 anos, além de profissionais de saúde. Esse ano, o Ministério da Saúde (MS) antecipou a campanha para todo o Brasil e a dividiu em três fases contemplando grupos prioritários distintos em cada uma delas. Na primeira fase da campanha serão vacinados idosos e trabalhadores da saúde, com os demais grupos vindo em seguida.

“O Ministério da Saúde está antecipando a campanha de vacinação contra a Influenza. Nós recebemos um lote no fim de semana que vai atender principalmente aos idosos, aquelas pessoas que têm acima de 60 anos. O material que recebemos previne contra três vírus gripais. É importante que essa população idosa se vacine, porque no momento em que ela está imunizada, quando apresenta qualquer sintoma de síndrome respiratória, fica fácil diagnosticar se é, por exemplo, o Coronavírus (Covid-19). Daí a necessidade de que todos nessa faixa etária a partir de sessenta anos vá a uma Unidade Básica de Saúde e tome sua vacina”, reforçou Wilson Lima.

Próximas fases – A segunda fase da campanha começa em 16 de abril para professores das escolas públicas e privadas e profissionais das forças de segurança e salvamento. Na última fase, que começa em 9 de maio, será vez das crianças de 6 meses a menores de seis anos, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, gestantes, puérperas, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos de idade.

Este último grupo (55 a 59 anos) é a novidade para esse ano. Visando ampliar o acesso à vacinação dos grupos mais vulneráveis, as pessoas de 55 anos a 59 anos de idade também serão vacinadas.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, foram recebidas, inicialmente, 216 mil doses de vacinas para a primeira fase da campanha. O MS já programou para os próximos dias o envio de mais 14 lotes para as próximas fases. “Houve a antecipação da campanha, a totalidade de vacinas que o País inteiro precisa ainda não está disponível. Então, o laboratório entregou o primeiro lote em função de os idosos serem os mais suscetíveis, que agravam com quadros de Influenza, então o foco é vacinar primeiro esses pacientes idosos acima de 60 anos”, disse.

Influenza x Covid-19 – O Ministério da Saúde tomou a decisão de realizar a Campanha de Vacinação Contra a Influenza com um mês de antecedência (historicamente acontecia em abril) em razão da evolução do Covid-19 em outros países e da confirmação de casos no país, apesar desta vacina não prevenir contra o novo vírus. O objetivo é proteger a população contra a Influenza e, sobretudo, minimizar o impacto sobre os serviços de saúde. Destaca-se que os sintomas da Influenza são semelhantes aos do Covid-19 e essa antecipação visa reduzir a carga da circulação de Influenza na população.

“Com relação ao Coronavírus, existe uma grande vantagem de a pessoa estar vacinada, porque, primeiro ela está vacinada contra uma doença grave que são os vírus da Influenza, que podem matar, podem agravar e podem chegar a matar e segundo porque na eventualidade de uma infecção pelo Covid-19 fica mais fácil descartar que aquele paciente não tem Influenza, porque ele está protegido, está vacinado”, ressaltou a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Rosemary Costa Pinto.

Público-alvo da Campanha de Vacinação contra a Influenza – No Amazonas, o público alvo total da campanha de Vacinação Contra a Influenza é de 1.241.291 pessoas dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. A meta é vacinar, no mínimo 90% desse público. O Dia “D” de mobilização nacional será 9 de maio.

O público alvo abrange: Crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, professores, povos indígenas, indivíduos de 55 anos a 59 anos de idade, Indivíduos de 60 anos ou mais de idade, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, força de segurança e salvamento e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (Doença respiratória crônica, Doença cardíaca crônica, Doença renal crônica, Doença, hepática crônica, Doença neurológica crônica, Diabetes, Imunossupressão, obesos, transplantados, Portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Sídrome de Wakany, dentre outras trissomias).

Foto: Diego Peres/Secom

Número de técnicos de enfermagem contratados pela Susam chega a 2.534

Número de técnicos de enfermagem contratados pela Susam chega a 2.534

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) chegou nesta quinta-feira (16/01) ao número de 2.534 contratações de técnicos de enfermagem que já atuam nas unidades de saúde por empresas terceirizadas. A contratação direta desses profissionais, que iniciou no último dia 08, encerra-se nesta sexta-feira (17/01).

A contratação direta de técnicos está sendo feita das 8h às 17h, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques. A Susam reforça que a contratação é específica para técnicos que atuam nas unidades por empresas terceirizadas que prestam serviço para o Estado.

Nesta quinta-feira, penúltimo dia de trabalho da força-tarefa montada pelo Governo do Amazonas para realizar as contrações, foram realizados 263 atendimentos pelo setor jurídico e pelo departamento de Recursos Humanos da Susam.

“O principal critério para ser contratado é ter trabalhado até o mês de dezembro para alguma das empresas terceirizadas. Caso o profissional não se encaixe, a contratação não ocorre”, explica o secretário de Saúde, Rodrigo Tobias.

Os técnicos de enfermagem precisam se encaminhar ao Vasco Vasques no horário fora de seus plantões. O contrato será em Regime Especial Temporário (RET). O embasamento para a medida é a Lei 2.607/2000 e suas alterações aprovadas pela Assembleia Legislativa em dezembro de 2019. A legislação dispõe sobre a contratação de pessoal por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público.

A lista de documentos e a ficha de cadastro para a contratação podem ser obtidas no site da Susam (www.saude.am.gov.br).

A contratação direta dá início ao processo de redução gradativa de serviços de mão de obra terceirizada na saúde e também segue a lógica de reordenamento do quadro de Recursos Humanos do órgão, que passa por um recadastramento feito pela Sead com todos os servidores.

A medida trará importantes ganhos, entre eles economia para o Estado. A estimativa é de redução de 30% no gasto com pessoal; maior salário para os profissionais, com pagamento de salário em dia; e prestação de um melhor serviço à população.

Força-tarefa – Uma equipe envolvendo 213 servidores foi montada pelo Governo do Amazonas. Desses, 178 de sete órgãos estão envolvidos diretamente no processo de contratação. Além da Susam, participam servidores da Casa Civil, Processamento de Dados do Amazonas S.A. (Prodam), Secretaria de Estado de Administração (Sead), Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur). Outros 11 órgãos estaduais também têm servidores no apoio, e um posto do Bradesco foi montado no local para abertura de conta.

FOTO: Divulgação/Susam

Susam ultrapassa em 16% meta de fornecimento de medicamentos especializados a usuários do SUS

Susam ultrapassa em 16% meta de fornecimento de medicamentos especializados a usuários do SUS

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) ultrapassou em 16% a meta de atendimentos, programada para 2019, aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no Amazonas, que recebem medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf).

O Ceaf é uma estratégia que garante acesso a medicamentos no SUS, entre eles os de alto custo. A dispensação de medicamentos diretamente aos usuários é feita pela Central de Medicamentos do Estado do Amazonas (Cema).

O Plano Anual de Saúde previa 83.500 atendimentos nos 12 meses. No entanto, o ano fechou com 96.749, ou seja, 12.979 atendimentos a mais.
O volume de atendimentos em 2019 também superou em 12.431 os realizados em 2018 (84.048).

Além de atender mais, a Cema conseguiu ampliar o nível de abastecimento dos itens que compõem o Ceaf, fechando 2019 com 94,5% de abastecimento. No início de 2019, o abastecimento era de 50%. O Ceaf trabalha com 289 itens dispensados diretamente a pacientes assistidos por unidades da rede pública de saúde.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, ao melhorar a produtividade, o Amazonas conseguiu ampliar os repasses recebidos do Governo Federal em 2019. Com mais recursos, mais medicamentos puderam ser adquiridos e dispensados.

“Havia uma previsão orçamentária de repasse federal no início de 2019 de R$ 3.465.000,00. Fechamos o ano com R$ 6.560.072,50, ou seja, tivemos um aumento na produtividade, o que resultou um aumento de quase 50% a mais do que estava previsto”, afirma o secretário.

Custeados pelo Governo do Amazonas e pelo Governo Federal, os medicamentos dispensados no Ceaf garantem a integralidade do tratamento medicamentoso para doenças contempladas pelo programa. Para ter acesso ao serviço, o usuário precisa ter o tratamento prescrito por um médico, seguindo o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde.

O orçamento aplicado pelo Governo do Amazonas no Ceaf em 2019 foi de R$ 13.381.000,00.

Medidas – O coordenador de Política Farmacêutica da Susam, Cláudio Nogueira, ressalta que foi possível produzir mais com praticamente o mesmo recurso do ano anterior depois de algumas medidas tomadas pela Cema. Uma delas foi a iniciativa de negociar preços de medicamentos junto à indústria farmacêutica.

Outra medida que contribuiu para isso foi a adoção de registro de ata de preços dos itens trabalhados pelo Ceaf. A Cema também promoveu melhorias e ajustes nas informações relacionadas ao faturamento do que foi produzido no programa.

Descentralização – A descentralização do Ceaf também contribuiu para ampliar o acesso da população a medicamentos especializados no Amazonas.

Em 2019, a Susam implantou três farmácias do Ceaf fora da Cema. Uma na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), outra na Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta (Fuam), e uma no município de Humaitá, no sul do Amazonas.

Para 2020, a Susam irá implantar mais cinco unidades do Ceaf em Manaus, nas seguintes unidades: Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimis) Ada Viana e Paulo Lima; e Policlínicas Codajás, Gilberto Mestrinho e Zeno Lanzini.

A Susam também iniciou tratativas para instalar farmácias do Ceaf em mais três municípios: Parintins, Coari e Tabatinga.

FOTO: Divulgação/Secom

Orçamento da Susam para investimento na saúde no Amazonas em 2020 é nove vezes maior que o de 2019

Orçamento da Susam para investimento na saúde no Amazonas em 2020 é nove vezes maior que o de 2019

O recurso para investimento no setor da saúde do Amazonas em 2020 será o equivalente a nove vezes o valor total que foi disponibilizado no orçamento elaborado pelo governo passado para ser aplicado na área em 2019. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (20/12) pelo governador Wilson Lima.

“No orçamento que tivemos em 2019, só colocaram R$ 5 milhões de investimento para a área da saúde. Para 2020, nós colocamos R$ 45 milhões para investimento”, informou o governador durante entrevista coletiva na sede do Governo do Amazonas, na zona oeste de Manaus.

Na noite de quarta-feira (18/12), a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA), que fixa o orçamento do Governo do Estado para o próximo ano. Para a Susam, o orçamento total aprovado foi de R$ 2,6 bilhões. Na LOA de 2019, o orçamento para a saúde foi de R$ 2,4 bilhões.

Wilson Lima ressaltou que em 2020 a saúde também terá mais recursos para investimentos do tesouro federal. Isso porque o Governo do Amazonas conseguiu habilitar mais serviços junto ao Ministério da Saúde (MS).

“Conseguimos junto ao Ministério da Saúde a habilitação de serviços que a gente estava pleiteando há muito tempo. O que isso significa? Significa que o governo vai receber R$ 25 milhões a mais do que já recebia de recursos repassados pelo Ministério da Saúde. Isso vai ser fundamental para que a gente possa melhorar e ampliar serviços”, declarou o governador.

Investir em prioridades – O secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias, afirma que o novo orçamento possibilitará investimentos em unidades prioritárias, como maternidades, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM).

“Vamos aplicar esse investimento, principalmente no hospital Francisca Mendes, maternidades, e na ampliação de unidades de Pronto Atendimento, como as UPAs de Tabatinga e de Itacoatiara”, afirmou Rodrigo Tobias.

O secretário destaca ainda que assim como em 2019, a pasta seguirá aplicando recursos no setor acima do mínimo exigido pela Constituição. “Essa é mais uma demonstração do compromisso deste governo com a área da saúde”, afirmou o titular da Susam.

De acordo com a LOA 2020, o total de recursos aplicados na saúde para o próximo ano representará 19,38% de todo o produto da arrecadação de impostos e transferências do Amazonas. Enquanto o investimento mínimo exigido pela Constituição é 12%.

Responsável pela gestão direta e indireta de 125 unidades de saúde, na capital e no interior, o Governo do Amazonas, historicamente, tem feito investimentos no setor acima da média nacional. Até o segundo quadrimestre de 2019 (janeiro a agosto), 17,6% dos recursos do Estado foram destinados à saúde.

Atualmente, a maior despesa da Susam é com pessoal e encargos sociais. Esse tipo de despesa vem crescente ao longo dos anos, segundo a LOA 2020. Em 2017 a folha foi de R$ R$ 848,7 milhões, em 2018 passou para R$ 900,3 milhões.

Os gastos com folha em 2019 ainda não foram consolidados, mas a projeção é para que encerre em R$ 984,8 milhões. Já a projeção para 2020 é a de que os gastos com pessoal e encargos sociais fiquem em R$ 1 bilhão. A Susam possui 21,1 mil servidores.

As atividades de maior execução de recurso no setor, depois da remuneração de pessoal, são: contratação de empresas assistenciais, compra de medicamentos e produtos para a saúde, operacionalização da rede de urgência e emergência, e administração (despesas com área meio).

Fotos: Bruno Zanardo/Secom