Emenda do deputado Marcelo Ramos garante aprovação do 13º do Bolsa Família e do BPC

Emenda do deputado Marcelo Ramos garante aprovação do 13º do Bolsa Família e do BPC

O trabalho do deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) foi considerado fundamental para a aprovação da Medida Provisória (MP 898/2019), que tornou permanente o 13º salário do Bolsa Família, agora extensivo também aos idosos e pessoas com deficiência beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

A informação foi ressaltada pelo relator da MP, senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), e pelo deputado federal Camilo Capiberibe (PSB-AP), que presidiu a comissão mista que analisou e aprovou, ontem, a matéria no colegiado.

Fonte de financiamento

Marcelo Ramos foi o responsável pela aprovação da matéria ao sugerir ao relator como fonte de financiamento da 13º do Bolsa Família e do BPC a tributação dos fundos exclusivos, que abriga os investimentos dos multimilionários. O parlamentar aplaudiu o trabalho da comissão.

“Considero que o relatório aprovado corrige parte da perda das pessoas mais pobres do país. Os trabalhadores, os menos favorecidos, foram os únicos que só perderam no ano de 2019”, disse Ramos.

O relator Randolfe Rodrigues observou que quem encontrou a solução de financiamento foi Marcelo Ramos. “Isso com um princípio elementar; não existe combate à desigualdade com irresponsabilidade fiscal”, disse o parlamentar, para quem não tem cabimento os mais ricos do país não pagarem um tributo que todos pagam, da classe média aos mais pobres.

O presidente da comissão, Capiberibe, agradeceu aos parlamentares dos partidos do centro, em especial do deputado federal Marcelo Ramos. “A mobilização vai ter que continuar, e mais forte ainda, para que nós possamos reproduzir nos plenários da Câmara e do Senado essa vitória que tivemos aqui”, revelou Capiberibe.

Centrão lança plataforma digital de olho nas próximas eleições

Centrão lança plataforma digital de olho nas próximas eleições

No último fim de semana, o “Centro, o Brasil em Movimento” lançou a sua plataforma digital na qual começa a coletar apoios para o grupo.

O movimento é uma aliança política composta por 5 partidos: DEM, Solidariedade, PL, Avante e Progressistas (antigo PP).

Segundo o site Poder360, o nome mais famoso do grupo é o do deputado e presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Entre políticos que têm marcado presença nos encontro destacam-se os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Paulinho da Força(Solidariedade-SP) e Luis Tibé (Avante-MG).

A área de comunicação da iniciativa do Centrão está a cargo do marqueteiro Chico Mendez. A parte digital ficou com o publicitário Moriael Paiva.

A ideia principal do grupo é difundir um discurso mais ponderado e que possa ficar entre o do presidente da República, Jair Bolsonaro, e o do Partido dos Trabalhadores (PT).

Tiririca é investigado pelo MPF por uso irregular de passagens

Tiririca é investigado pelo MPF por uso irregular de passagens

No último dia 18 de novembro, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou uma investigação para apurar se o deputado Tiririca (PL-SP) utilizou “verba de gabinete para realizar viagens particulares”.

Embora tenha sido eleito por São Paulo, Tiririca comprou com dinheiro público passagens aéreas para o Ceará, seu estado natal, informa a revista Veja.

Câmara dos Deputados estabelece, entre outras regras, que os recursos destinados para viagens do político não podem servir para benefício pessoal e têm de estar relacionados com o exercício do mandato ou com deslocamentos para a sua base eleitoral.

O parlamentar eleito por São Paulo costuma postar fotos em suas redes sociais divulgando shows em sua terra natal.

Somente neste ano, o seu gabinete desembolsou mais de R$ 70 mil em dinheiro público para se deslocar dezenas de vezes de Brasília para Fortaleza.

Protestos da extrema-esquerda contra Bolsonaro fracassam

Protestos da extrema-esquerda contra Bolsonaro fracassam

Convocados por organizações de extrema-esquerda para esta terça-feira (5), os protestos contra o governo Jair Bolsonaro podem ser classificados como um fracasso retumbante.

Os atos foram convocados após publicação de reportagem da Rede Globotentando conectar o presidente Bolsonaro ao assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL).

As manifestações foram encabeçadas pela União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), o Levante da Juventude, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), entre outras entidades.

Segundo a revista ISTOÉ, “cerca de mil manifestantes se reuniram na Candelária”, no centro do Rio de Janeiro.

O portal G1 também publicou uma matéria sobre um pequeno protesto em Brasília, mas não citou o número de pessoas presentes no ato.

Além de não conseguir levar as pessoas para as ruas, os organizadores do protesto também enfrentaram grandes dificuldades para obter um bom engajamento nas redes sociais.

Até mesmo os políticos mais ativos do Partido dos Trabalhadores (PT) nas redes sociais ignoraram completamente os protestos, como pode ser visto nos perfis da deputada Gleisi Hoffmann e do deputado Paulo Pimenta.

Maior fraude da política dos EUA, diz Trump sobre impeachment

Maior fraude da política dos EUA, diz Trump sobre impeachment

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que o pedido de impeachment do Partido Democrata com base no caso da Ucrânia é “maior fraude da história da política norte-americana”.

Diante do pedido de impeachment aberto pelos democratas, Trump postou uma mensagem de vídeo no Twitter para alertar seus apoiadores.

Em relação à oposição democrata, Trump declarou:

“Eles querem tirar suas armas, querem tirar seus cuidados de saúde, querem tirar seu voto, querem tirar sua liberdade.”

O líder dos Estados Unidos acrescentou:

“Nunca devemos deixar isso acontecer, porque nosso país está em risco como nunca antes.”

Confira o vídeo:

Janot diz que Palocci prometeu entregar 5 ministros do STF

Janot diz que Palocci prometeu entregar 5 ministros do STF

O ex-procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, afirmou que o ex-ministro Antonio Palocci prometeu “entregar” cinco ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em um eventual acordo de delação na Operação Lava Jato.

Em entrevista à revista Veja, divulgada nesta quinta-feira (26), Janot declarou:

“Na primeira vez em que o ex-ministro Antonio Palocci tentou fechar uma delação com a gente, disse que iria entregar uns ministros do STF. Ele citou a Rosa Weber, o Luiz Fux, o Fachin, mas era igual a biscoito de polvilho, só fazia barulho.”

Janot ainda acusou o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o atual deputado federal Aécio Neves (PSDB) de terem oferecido cargos a ele em troca da paralisação das investigações da Lava Jato.

O ex-PGR também disse que chegou a ir armado a uma sessão do STF com a intenção de matar a tiros o ministro Gilmar Mendes:

“Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele [Gilmar Medes] e depois me suicidar.”

Folha nomeia Felipe Neto como ‘porta-voz do antibolsonarismo’

Folha nomeia Felipe Neto como ‘porta-voz do antibolsonarismo’

Em uma reportagem publicada, nesta quarta-feira (25), em seu “GPS Ideológico”, o jornal Folha de S.Paulo disse que o youtuber Felipe Neto consolidou-se como uma das “principais vozes do antibolsonarismo” ao lançar uma “cruzada contra o conservadorismo”.

O jornal diz que o influenciador com milhões de seguidores, sendo uma boa parte de crianças, comecou seu processo de “esquerdização” durante a campanha das eleições de 2018, ele começou a se mostrar uma voz antibolsonarista.

“Esse intenso mês de setembro significou para Felipe Neto não só a caminhada à esquerda, mas números recordes de interação e crescimento nas redes sociais, segundo dados tabulados do Crowdtangle”, diz o jornal.

“Até agora ele ganhou no Twitter mais de 150 mil seguidores em 23 dias, e pode superar os 180 mil de janeiro, a maior taxa do ano”, completou.

Guedes tem celular hackeado, diz assessoria da Economia

Guedes tem celular hackeado, diz assessoria da Economia

(Reuters) – O telefone celular do ministro da Economia, Paulo Guedes, foi hackeado, informou a assessoria de imprensa do ministro na noite de segunda-feira.

“Por favor, desconsiderem toda e qualquer mensagem vinda do número dele e das pessoas do gabinete”, disse a assessoria em nota enviada a jornalistas.

A nota finaliza dizendo que “as medidas cabíveis” serão tomadas nesta terça-feira, bem como a divulgação de mais informações sobre o incidente.

Guedes torna-se mais uma autoridade a ser afetado por ataques do tipo. Em junho, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, participou de audiência no Senado para explicar supostas trocas de mensagens por aplicativo de celular quando era juiz com procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, noticiadas pelo site The Intercept Brasil.

Integrantes do Ministério Público Federal (MPF) também sofreram ataques cibernéticos, incluindo o coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol.