Presidente do PSL diz que Bolsonaro ‘já está afastado’ do partido

Presidente do PSL diz que Bolsonaro ‘já está afastado’ do partido

O presidente do Partido Social Liberal (PSL), deputado federal Luciano Bivar (PE), afirmou, nesta quarta-feira (9), que o presidente da República, Jair Bolsonaro, “já está afastado” da sigla.

Em conversa com a jornalista Andréia Sadi, do site G1, Bivar avaliou que a fala de Bolsonaro sobre o partido foi “terminal”:

“A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido.”

O deputado concluiu:

“O que pretendemos é viabilizar o país. Não vai alterar nada se Bolsonaro sair, seguiremos apoiando medidas fundamentais. A declaração de ontem foi terminal, ele disse que está afastado. Não estamos em grêmio estudantil. Ele pode levar tudo do partido, só não pode levar a dignidade, o sentimento liberal que temos e o compromisso com o combate à corrupção.”

Nesta terça (8), na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro orientou um apoiador que se apresentou como pré-candidato pelo PSL em Recife, capital do Pernambuco, a esquecer o partido porque Bivar “está queimado pra caramba“.

Criação de um novo partido pode ser alternativa para Bolsonaro

Criação de um novo partido pode ser alternativa para Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, reacendeu o debate sobre uma eventual mudança de legenda, nesta terça-feira (8), após comentários críticos ao Partido Social Liberal (PSL) e ao seu presidente, o deputado federal Luciano Bivar (PE).

Um dos caminhos de Bolsonaro seria criar uma legenda do zero, a partir da coleta de assinaturas. Apesar de ser vista como menos provável, a alternativa está sendo pavimentada.

O partido seria batizado de Conservadores. Segundo o jornal O Globo, aliados do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) estariam, inclusive, finalizando o estatuto dessa nova legenda.

Uma segunda possibilidade é Bolsonaro migrar para outra legenda. Algumas delas já começam a se movimentar na tentativa de atrair o presidente.

Siglas como o Patriota e a UDN — esta em vias de ser criada — são as opções mais prováveis no momento.

“Sempre fui fiel ao presidente. A última conversa que eu tive com ele foi para dizer: as portas estão abertas e no dia que você precisar, você tem tudo neste partido, porque eu admiro demais o seu trabalho e eu sou um dos seus fãs neste país”, afirmou Adilson Barroso, presidente do Patriota.

“Estamos de braços abertos para a família Bolsonaro”, disse o ativista Marcus Alves, fundador e presidente da UDN.

Senadores ameaçam não votar 2º turno da reforma da Previdência

Senadores ameaçam não votar 2º turno da reforma da Previdência

A insatisfação dos senadores foi manifestada na manhã desta terça-feira (1º) por líderes partidários em reunião para discutir os procedimentos para a votação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e no Plenário. Ambas as votações estão marcadas para hoje.

Os senadores mantiveram o plano de votar o texto nesta terça-feira. Mas ameaçaram não votar em segundo turno na próxima semana, informa o site Congresso em Foco.

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio, afirmou que o governo Jair Bolsonaro precisa reagir imediatamente para resolver as demandas dos parlamentares:

“Foi costurado para que respeitássemos hoje o primeiro turno, mas precisaremos ter uma série de ações para que haja a votação em segundo turno – não é até o dia 10 -, mas que se vote o segundo turno. Eu também conto [com a data de 10 de outubro], mas não foi o sentimento passado pela esmagadora maioria dos senadores.”

O senador acrescentou:

“Temos muitas pendências. Não há, neste momento, garantia dos senadores para a data de votação em segundo turno. Não está definido o que poderá acontecer.”

Bolsonaro é um líder para a América do Sul, diz ex-prefeito de NY

Bolsonaro é um líder para a América do Sul, diz ex-prefeito de NY

(Nova York – EUA, 24/09/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante encontro com o senhor Rudolph Giuliani, ex-prefeito da cidade de Nova York. Foto: Alan Santos/PR

Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York e atual advogado pessoal de Donald Trump, conversou com o presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (24), no hotel onde o líder brasileiro esteve hospedado durante estadia nos Estados Unidos.

“Bolsonaro é um homem extraordinário, e o Brasil tem muita sorte em tê-lo. Eu o vejo como um líder para a América do Sul”, disse Giuliani em conversa com a imprensa após a reunião.

Questionado por jornalistas se não achava o mandatário do Brasil agressivo, como os críticos têm dito, ele logo respondeu: “Se ele não fosse agressivo, como ele mudaria as coisas?”.

Giuliani também disse que ficou muito impressionado com o filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

“Eu o conheço há algum tempo, é um homem muito brilhante, que tem a distinção de um policial”, afirmou o ex-prefeito de NY, segundo o site UOL.

Bolsonaro defenderá autodeterminação e soberania do Brasil, diz Heleno

Bolsonaro defenderá autodeterminação e soberania do Brasil, diz Heleno

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou, nesta terça-feira (24), que o presidente da República, Jair Bolsonaro, na Assembleia Geral da ONU, “será um momento histórico, em defesa de nossa autodeterminação e soberania”.

Em mensagem no Twitter, minutos atrás, o general Heleno pediu “pensamento positivo, as orações e a fiel torcida do povo brasileiro trarão ótimos fluidos para o histórico discurso” do chefe do Executivo.

A fala do líder do executivo do Brasil também será transmitida pela TV Brasil, que está fazendo a cobertura ao vivo do evento através da plataforma de vídeos YouTube. Confira abaixo:

Coluna de Duvivier na Folha tem montagem de Bolsonaro decapitado

Coluna de Duvivier na Folha tem montagem de Bolsonaro decapitado

O humorista e ativista político, Gregório Duvivier, estimulou o ódio da militância esquerdista contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, em sua coluna desta quinta-feira (29) no jornal Folha de S.Paulo.

Em seu texto intitulado “Único jeito de não ficar triste é ficar puto”, Duvivier não esconde que enxerga Bolsonaro como um inimigo que precisa ser combatido através de uma campanha de ódio.

Durante o texto, Duvivier diz que o “único momento em que eu não tô deprimido com esse governo é quando eu tô com ódio desse governo”.

“Mas não é hora de lamentar. É hora de se perguntar. Hoje: Quanto da sua tristeza você conseguiu converter em ódio? Quanto do seu ódio você conseguiu converter em ação?”, indaga Duvivier.

Maia criticou questionamentos de Bolsonaro sobre o Inpe

Maia criticou questionamentos de Bolsonaro sobre o Inpe

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou, nesta segunda-feira (26), os questionamentos feitos pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, acerca dos dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) sobre o desmatamento na Amazônia.

“Quando ele questionou os dados do Inpe, ele gerou uma insegurança nos parceiros comerciais brasileiros”, disse o deputado.

“Todo mundo vê a Floresta Amazônica como um patrimônio da humanidade”, acrescentou Maia, segundo o site Poder360.

Maia afirmou, no entanto, que Bolsonaro foi mal interpretado em relação a sua fala e que acredita que o principal momento de tensão acerca do tema já passou.

“Acho que com o discurso dele de sexta-feira [realizado em rede aberta de rádio e televisão], acho que ele reposicionou isso”, disse Maia.

Trump elogia esforços de Bolsonaro para conter fogo na Amazônia

Trump elogia esforços de Bolsonaro para conter fogo na Amazônia

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a falar sobre os incêndios na Amazônia na manhã desta terça-feira (27).

Em mensagem na rede social Twitter, Trump disse que passou a conhecer muito bem o presidente da República, Jair Bolsonaro, durante negociações recentes.

“Ele [Bolsonaro] está trabalhando duro nos incêndios na Amazônia e, em todos os aspectos, fazendo um ótimo trabalho para o povo do Brasil – Não é fácil”, escreveu Trump.

O chefe da Casa Branca finalizou dizendo que Bolsonaro e o Brasil “têm o apoio total e completo” dos Estados Unidos.

Macron diz que Bolsonaro não está à altura do cargo

Macron diz que Bolsonaro não está à altura do cargo

O presidente da França, Emmanuel Macron, voltou a subir o tom, nesta segunda-feira (26), contra o seu homólogo do Brasil, Jair Bolsonaro, dizendo esperar que “os brasileiros tenham logo um presidente à altura” do cargo.

Em entrevista ao lado do presidente chileno Sebastián Piñera, na cúpula do G7, o chefe de Estado da Françaafirmou que “é triste” ver ministros brasileiros insultarem líderes estrangeiros, informa o jornal Folha.

Macron também descreveu os últimos lances da crise diplomática com Brasília como um “grande mal-entendido”:

“Ele me prometeu, com a mão no peito [na cúpula do G20, em julho, no Japão], respeitar seus engajamentos ambientais. Dias depois, demitiu cientistas de seu governo.”

No último fim de semana, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, chamou Macron de “calhorda oportunista“.

“Assim como nós, os franceses estão enfrentando as mesmas ameaças globais, porém, em estágio mais avançado dominação. Além disso, elegeram um governante sem caráter, porém, isso nós também já fizemos”, afirmou Weintraub.

Dallagnol acusa Bolsonaro de se afastar do combate à corrupção

Dallagnol acusa Bolsonaro de se afastar do combate à corrupção

O procurador da República, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro, está se distanciando do discurso e da pauta anticorrupção.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, Dallagnol também criticou as interferências de Bolsonaro na Receita e na Polícia Federal.

O procurador afirmou que o sistema de combate à corrupção do Brasil está em risco e que sofre ações de enfraquecimento dos três Poderes:

“Nós vemos também que essas investigações relativas à família dele [Bolsonaro] têm relação com áreas em que ele tem buscado atuar – segundo várias pessoas têm avaliado, de modo indevido – em relação à Receita Federal ou à Polícia Federal.”

Dallagnol acrescentou:

“O que nós podemos esperar é que exista uma atuação do presidente coerente com aquilo que ele divulgou em campanha, com a pauta que ele abraçou, que é a pauta anticorrupção.”

O coordenador da Lava Jato acrescentou que Bolsonaro tem enfraquecido as pautas anticorrupção:

“O presidente Jair Bolsonaro, ao longo da campanha eleitoral, se apropriou de uma pauta anticorrupção. […] Agora, o que nós vemos é que ele vem se distanciando desta pauta de corrupção quando coloca em segundo plano o projeto anticrime do juiz federal Sergio Moro. Ele coloca em segundo plano essa pauta quando ele faz mudanças no Coaf e desprestigia o auditor da Receita Federal Roberto Leonel [indicado por Moro para o Coaf], que trabalhou na Lava Jato.”