STF prorroga investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

STF prorroga investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, prorrogou por mais 30 dias o inquérito que apura as acusações do ex-ministro da Sérgio Moro sobre supostas “interferências políticas” do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Polícia Federal (PF).

Esta é a segunda vez que o decano da Corte amplia o prazo das apurações. 

Em despacho, Celso esclarece que a nova concessão atende o pedido da PF para a realização de diligências ainda pendentes.

“Concedo, por mais 30 (trinta) dias, a dilação de prazo ora postulada pela ilustre autoridade policial federal para efeito de realização de diligências investigatórias ainda pendentes (ou que se façam eventualmente necessárias) quanto ao inquérito policial em referência, considerada a iminência do encerramento do prazo anteriormente deferido”, anotou o ministro.

Prisão de Queiroz é peça para atacar Bolsonaro, diz Flávio

Prisão de Queiroz é peça para atacar Bolsonaro, diz Flávio

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) comentou, nesta quinta-feira (18), sobre a prisão de seu ex-assessor Fabrício Queiroz, em Atibaia, interior de São Paulo.

Queiroz estava num imóvel de Frederick Wassef, advogado da família do presidente da República, e está sendo levado para o Rio de Janeiro.

Em mensagem no Twitter, Flávio declarou:

“Encaro com tranquilidade os acontecimentos de hoje. A verdade prevalecerá! Mais uma peça foi movimentada no tabuleiro para atacar Bolsonaro.”

E acrescentou:

“Em 16 anos como deputado no Rio nunca houve uma vírgula contra mim. Bastou o Presidente Bolsonaro se eleger para mudar tudo! O jogo é bruto!”

Queiroz é investigado um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio e por lavagem de dinheiro em transações imobiliárias com valores de compra e venda fraudados.

Fabrício Queiroz é preso no interior de São Paulo

Fabrício Queiroz é preso no interior de São Paulo

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, foi preso, nesta quinta-feira (18), em Atibaia, interior de São Paulo.

Queiroz estava em um imóvel que pertence a Frederick Wasseff, advogado da família do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O Ministério Público do Rio de Janeiro pediu a prisão de Queiroz porque encontrou provas com elementos necessários para uma prisão preventiva.

Conforme consta em relatório do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta de maneira considerada “atípica”.

De acordo¹ com as investigações do MP, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro continuava delinquindo, estava fugindo e interferindo na coleta de provas.

Ainda no Rio de Janeiro, a Polícia Civil também fez buscas no início da manhã em um imóvel que consta na relação de bens do presidente Bolsonaro, em Bento Ribeiro, Zona Norte da capital fluminense.

MBL envia assessora de Holiday para constranger Bolsonaro no Alvorada

MBL envia assessora de Holiday para constranger Bolsonaro no Alvorada

Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta quarta-feira (10), o presidente da República, Jair Bolsonaro, foi criticado por uma militante enviada pelo Movimento Brasil Livre (MBL).

Identificada como Cris Bernart, a mulher culpou Bolsonaro pelas mortes por coronavírus no Brasil:

“Nós temos hoje 38 mil mortos por causa do covid. E, assim, não são 38 mil estatísticas, são 38 mil famílias que estão morrendo nesse momento, que estão chorando, o senhor, como chefe da nação, eu votei no senhor, fiz campanha para o senhor, acho até que o senhor me conhece. E eu sinto que o senhor traiu a nossa população.”

 Diante da insistência da mulher, o chefe do Executivo diz para a mulher parar de falar ou, então, sair do local:

“Se você quiser falar, sai daqui, já foi ouvida. Cobre do seu governador. Sai daqui.”

Em mensagem no Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que a mulher é a atriz e youtuber Cristiane Damo Bernart, que exerce cargo como assessora parlamentar do vereador Fernando Holiday (DEM), líder do MBL.

Através da mesma rede social, Holiday confirmou que Bernart é sua assessora. “A Cris Bernart, que protestou de forma corajosa contra o presidente hoje, é sim minha assessora”, disse ele.

Em outro tuíte, Renan Santos, um dos fundadores do MBL, confirmou que a presença da atriz na saída do Alvorada foi um plano do grupo.

“Jogo está só começando!”, escreveu Santos.

Bolsonaro critica ANTIFA por queimar bandeira do Brasil

Bolsonaro critica ANTIFA por queimar bandeira do Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a tecer críticas, nesta quinta-feira (4), as pessoas que queimam a bandeira do Brasil.

Em sua tradicional live no Facebook, o chefe do Executivo elogiou o povo de Curitiba, no Paraná, por manifestação¹ na terça-feira (2) em defesa da Pátria:

“Patriotas brasileiros, a maioria de Curitiba, foram lá na praça do governo e hastearam a bandeira do Brasil com muita honra.”

Bolsonaro culpou diretamente o grupo ANTIFA, que queimou² o Pavilhão Nacional durante um distúrbio violento na última segunda-feira (1):

“Esses marginais de preto chamados de ANTIFA, que, na verdade, são os black blocs, haviam queimado dois dias antes. Queimar a bandeira do seu país. Isso aí eu não vou adjetivar porque eu não sou de falar palavrão.”

Confira o trecho da live em que Bolsonaro comenta sobre a ação da ANTIFA contra a bandeira do Brasil:

PT entra com o 35º pedido de impeachment contra Bolsonaro

PT entra com o 35º pedido de impeachment contra Bolsonaro

Liderado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), o 35º pedido de impeachmentcontra o presidente da República, Jair Bolsonaro, foi protocolado nesta quinta-feira (21).

O pedido tem como base as acusações feitas por um dos principais algozes do PT, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

“Bolsonaro precisa ser impedido, seu governo está levando o Brasil e a maioria do povo para uma tragédia”, escreveu Gleisi Hoffmann, presidente do PT, em mensagem nas redes sociais.

Entre as siglas que assinaram o pedido coletivo estão PCdoB, PSOL, PSTU, PCB, PCO e UP, além do PT. Segundo Gleisi, outras 400 entidades também assinaram o pedido.

Em mensagem no Twitter, a deputada estadual Janaina Paschoal(SP-PSL), uma das autoras do processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, ironizou o fato de o PT utilizar o depoimento de Moro para embasar denúncia contra Bolsonaro.

“Vivi para testemunhar: Petistas e simpatizantes se pautando na palavra de Sérgio Moro, para pedir o afastamento de Bolsonaro!”, escreveu Janaína.

‘Quem ficar em casa parado vai morrer de fome’, diz Bolsonaro

‘Quem ficar em casa parado vai morrer de fome’, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a defender o fim do isolamento social em meio à pandemiade coronavírus.

Em conversa com jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira (13), em Brasília, Bolsonaro afirmou que “quem ficar em casa parado vai morrer de fome”:

“Ficar em casa para quem pode é legal, sem problema nenhum. Mas para quem não tem condições, a geladeira está vazia, tem três, quatro filhos chorando. Tem gente que chega em casa e tem danoninho, carne de primeira.”

O chefe do Executivo acrescentou que “o homem que está passando fome, ele perde a razão”:

“Ele chega em casa e vê o filho chorando de fome [e] não pode fazer nada porque não tem como vender o churrasquinho de gato na praça, vender o biscoito Globo na praia.”

Bolsonaro ainda questionou:

“Ele se desespera, porra. Ele fica doido. Briga em casa, briga com o vizinho… É uma pessoa que vai perdendo a razão. Vamos esperar chegar nesse ponto para reagir?”

Ramagem critica ações de Moro ao deixar o cargo de ministro

Ramagem critica ações de Moro ao deixar o cargo de ministro

O diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Alexandre Ramagem, prestou depoimento à Polícia Federal (PF), nesta segunda-feira (11), no caso envolvendo as denúncias do ex-ministro Sergio Moro contra o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Ramagem acusou Moro de desqualificá-lo quando soube que seria o escolhido para o comando da PF por Bolsonaro.

De acordo com trecho do depoimento de Ramagem à PF:

“O ex-ministro Sérgio Moro não falou mal do nome do depoente em seus pronunciamentos mas fez questão de desqualificar o depoente para a posição de Diretor-Geral da Polícia Federal; que a desqualificação ocorreu através de argumento inverídico de intimidade familiar nunca antes tido como premissa ou circunstância, apenas como subterfúgio para indicação própria sua de pessoas vinculadas ao seu núcleo diretivo de sua exclusiva escolha.”

Ao fim do depoimento, o delegado Ramagem fez questão de pontuar:

“O ex-ministro Moro, ao adentrar ao executivo federal, e tratar especificamente de Polícia, poderia se ater a princípios e valores de hierarquia, lealdade e preferência da lei, até porque não houve qualquer comando ilegal emanado do Presidente da República.”

Bolsonaro não deve mostrar exames, diz presidente do STJ

Bolsonaro não deve mostrar exames, diz presidente do STJ

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, nesta sexta-feira (8), ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para derrubar as decisões judiciais que obrigam o presidente da República, Jair Bolsonaro, a entregar os resultados dos exames para coronavírus.

O governo defende que não existe obrigação legal de apresentar os resultados. Isso porque o fato de um indivíduo ser presidente da República não significa que ele não tenha certos direitos individuais, como direito à intimidade e à privacidade.

O caso será analisado pelo presidente do STJ, ministro João Otávio Noronha, a quem cabe analisar esse tipo de recurso.

Nesta quinta-feira (7), em entrevista ao site jurídico JOTA, Noronha disse que Bolsonaro não deve ser obrigado a entregar os laudos.

O chefe do STJ afirmou que “não é republicano” exigir a divulgação dos documentos e alegou que “não é porque o cidadão se elege presidente que não tem direito a um mínimo de privacidade”.

“Ele [Bolsonaro] está andando para lá e para cá e está imunizado, é uma questão a ser discutida com calma, mas acho que há um limite interferir na vida do cidadão. Não é porque ele é presidente da República, que ele é presidente do Supremo, do STJ, que ele tem que estar publicando seu exame de sangue todo dia”, disse Noronha.

AGU entrega relatório de exame negativo de Bolsonaro para covid-19

AGU entrega relatório de exame negativo de Bolsonaro para covid-19

A AGU (Advocacia-Geral da União) informou, nesta quinta-feira (30), que enviou à Justiça Federal de São Paulo um relatório médico no qual comprova que Jair Bolsonaro (sem partido) se encontra “assintomático” e teve resultado negativo para covid-19. Trata-se de um relatório, portanto, e não do exame propriamente.

De acordo com a AGU, o relatório foi emitido em 18 de março pela Coordenação de Saúde da Presidência da República, “no qual é atestado que o presidente da República é monitorado pela respectiva equipe médica, encontrando-se assintomático, tendo, inclusive, realizado exame para detecção da Covid-19, nos dias 12 e 17 de março, com o referido exame dando não reagente (negativo)”.

Após apresentar o documento à Justiça, a AGU solicitou a extinção do processo.

Na última segunda-feira (27), a Justiça Federal decidiu que o jornal O Estado de S. Paulo tinha direito a ter acesso aos testes de covid-19 do presidente Jair Bolsonaro. A decisão foi proferida pela juíza Ana Lúcia Petri Betto, e o governo tinha prazo de 48 horas para fornecer o resultado.

O presidente fez o exame para Covid-19 duas vezes, em 12 e 17 de março, e informou que o teste deu negativo em ambas. Dias antes, Bolsonaro havia participado de uma missão oficial aos Estados Unidos – pelo menos 23 pessoas que acompanharam a comitiva foram diagnosticadas com a doença.