Bolsonaro rebate pedido do PT para investigação por obstrução

O presidente da República, Jair Bolsonaro, rebateu, nesta terça-feira (5), pedido do Partido dos Trabalhadores (PT) para que o Supremo Tribunal Federal (STF) o investigue pela prática de obstrução à Justiça.

Os petistas criticaram o fato do vereador Carlos Bolsonaro(PSC-RJ), filho do presidente, ter acessado a memória da secretária eletrônica do condomínio Vivendas da Barra, onde mora no Rio de Janeiro.

No documento, o PT argumenta que o chefe do Executivo “de modo autoritário e com uso da força (do seu cargo) se apropria se provas que podem, em tese, incriminar a si ou seus familiares” na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Em postagem no Twitter, o presidente Bolsonaro se refere aos apelidos do deputado Paulo Pimenta (PT-RS), senador Humberto Costa (PT-PE) e deputada Gleisi Hoffmann(PT-PR) nas planilhas da empreiteira Odebrecht.

“Esses petistas foram delatados na Lava-Jato com seus respectivos codinomes: Rato/Montanha, Vampirão e Amante. Agora entram na Justiça pelo fato de eu, como morador, ter acessado a secretária eletrônica do meu condomínio”, disse o presidente.