EUA e Filipinas reforçam segurança em águas disputadas com a China

As Filipinas e os Estados Unidos decidiram reforçar, nesta terça-feira (16), sua cooperação para garantir a “segurança mútua” e a “estabilidade regional” nas águas disputadas do Mar da China Meridional.

Em comunicado conjunto, segundo a agência EFE, os dois países afirmaram:

“Ambas partes reconheceram a importância de uma forte aliança Filipinas-EUA para melhorar a cooperação em segurança e promover a estabilidade regional e a prosperidade. Temos um mecanismo, o conselho sobre defesa mútua, no qual se debate sobre como fortalecer a relação bilateral em relação ao Tratado de Defesa Mútua.”

As duas nações são aliados tradicionais e contam com um Tratado de Defesa Mútua que data de 1951.

O acordo, no entanto, foi revisado para que não haja dúvidas sobre como proceder em caso de conflito no Mar da China Meridional, onde a China ocupou à força várias ilhotas que pertencem às Filipinas.

Os EUA, que planejam levar 60% da sua frota naval ao Pacífico, vê com estupor como a potência rival expandiu seu domínio nas águas do Mar da China Meridional, inclusive em áreas que são soberania das Filipinas, como o atol Scarborough ou parte das ilhas Spratly, reconhecidas como filipinas em uma sentença da Corte de Arbitragem da Haia.

Outros países da região, como Malásia, Vietnã, Brunei e Taiwan, também têm reivindicações de soberania nesse mar, onde nos últimos meses foram detectados mais de 500 navios chineses que agem como “uma milícia paramilitar com funções coercitivas e de vigilância”, segundo o Pentágono.