Ditadura Maduro impede entrada de opositores no Parlamento

A ditadura de Nicolás Maduro usou as principais forças de segurança para impedir a entrada de deputados opositores no Parlamento da Venezuela.

A ação acontece no dia em que a Constituição da Venezuela estabelece que deve ser eleito o presidente da Assembleia Nacional do país e os membros da direção do Parlamento.

O novo presidente da Assembleia é o deputado Luis Parra. Ele foi nomeado apenas com a presença da bancada minoritária do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) e aliados.

Segundo denúncias da oposição, o congressista é um dos que estavam na bancada opositora e aceitaram subornos do governo Maduro para se opor à reeleição de Juan Guaidó como presidente da Assembleia.

Guaidó, que há um ano se autoproclamou “presidente encarregado”e foi reconhecido por cerca de 60 países, entre eles o Brasil, teve de pular uma grade para entrar na sede do Congresso nacional.

Os parlamentares aliados de Guaidó classificaram a eleição de Parra como uma “cerimônia ilegal” e um novo “golpe” praticado pela ditadura Maduro.

“Isso é um golpe de Estado e o mundo precisa denunciar mais um gravíssimo atropelo de Maduro à democracia”, disse uma fonte próxima a Guaidó, segundo O Globo.