Em meio à uma crise política e econômica, estimulada pelo atual modelo estatizante e agravada ainda mais pela pandemia de covid-19, a Argentina não vai nada bem no cenário externo.

Em 2020, de janeiro a agosto, os produtores de soja do Brasil embarcaram mais de US$ 1 bilhão a portos holandeses – o dobro do valor registrado no mesmo período do ano passado (US$ 532 milhões), segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia.

O montante fez com que a Holanda se tornasse o terceiro maior destino das exportações brasileiras, ocupando a posição que antes era do país comandando por Alberto Fernández e Cristina Kirchner, que caiu para a sexta colocação no ranking.

Além da soja, o país europeu também adquiriu petróleo e demais combustíveis, cuja soma da exportação brasileira chegou a US$ 834 milhões, valor três vezes maior que nos oito primeiros meses de 2019