Vereadores recuam e decidem cobrar explicações da Prefeitura no ‘Caso Flávio’

Após repercussão negativa nas redes sociais sobre a decisão da Câmara Municipal de Manaus (CMM) de arquivar o requerimento apresentado pelo vereador Chico Preto (PMN), que pedia esclarecimento sobre o uso de carro e servidor público no local onde o engenheiro Flávio dos Santos teria sido assassinado, vereadores decidiram mudar de ideia e protocolaram nesta terça-feira (08) um novo ofício à Prefeitura de Manaus.

“Não queremos transformar isso em uma questão política. A Justiça deve continuar investigando e solucione devidamente o caso. Resolvemos oficializar depois de uma reunião com a Mesa Diretora e o Conselho de Líderes da Câmara para que a Prefeitura possa indicar essas pessoas para que venham aqui prestar informações”, disse o presidente da CMM, Joelson Silva.

A polícia ainda investiga a morte do engenheiro Flávio Santos e o possível envolvimento de Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama do município, Elisabeth Valeiko, no crim. O caso ocorreu no último dia 30 de setembro, no condomínio Passaredo, no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste. Na ocasião, o servidor público Eliseu da Paz utilizou uma viatura da Prefeitura de Manaus para entrar e sair da cena do crime.

Para o líder do prefeito na Câmara, vereador Marcel Alexandre (PHS), ainda é cedo para cobrar explicações da Prefeitura, mas, o ofício protocolado hoje atende a um apelo público.

“O colegiado de líderes entendeu que diante do apelo midiático, nós deveríamos então responder e oferecer a condição para que o município pudesse falar nesse momento. Mas entendo que o que eles podem dizer agora será muito limitado, mas se é um apelo popular, iremos atender”,

A reunião será realizada amanhã, às 10h, no Plenário Adriano Jorge, na sede da Câmara Municipal de Manaus, que fica na rua Padre Agostinho, no bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus.