Tubarão centenário é filmado por cientistas

Tubarão centenário é filmado por cientistas

Cientistas acreditam ter encontrado o vertebrado mais velho do mundo, um tubarão-da-Groelândia com idade superior a 500 anos.

Como essa espécie só cresce 1 cm por ano, os pesquisadores calcularam sua idade com base em seu tamanho, atualmente 5,5 metros, e datação por radiocarbono. Sendo assim, o animal teria entre 272 e 512 anos.

Para o professor responsável pelas pesquisas, Kim Praebel, tais tubarões são verdadeiras “cápsulas do tempo” vivas, informa o site IG.

Embora os cientistas nunca tenham visto o animal caçando, acredita-se que o tubarão-da-Groenlândia se alimente de peixes. No entanto, restos de rena e de cavalo foram encontrados em seus estômagos.

Além de viver tempo demais, o animal é considerado uma iguaria na Islândia, embora sua carne seja venenosa, exigindo trato especial.

Após 60 anos de operações, a Área 51 mantém aura de mistério

Após 60 anos de operações, a Área 51 mantém aura de mistério

Uma página de memes no Facebook pretende organizar a invasão da famosa base militar nos Estados Unidos para “ver os aliens” que estão escondidos por lá.

O objetivo dos organizadores do evento é provar que o governo norte-americano esconde algo na misteriosa Área 51.

Com o título de “Storm Area 51, They Can’t Stop All of Us” (“Invadir a Área 51, eles não podem parar todos nós” em tradução livre), o evento tem mais de 200 mil participantes confirmados e outros 200 mil interessados.

Esse evento, é claro, não passa de uma piada. Afinal, os participantes seriam recebidos a tiros, já que todos os guardas têm a permissão de usar a força letal para deter possíveis invasores.

A Área 51 é uma instalação militar ultrassecreta que se localiza a noroeste de Las Vegas, e que é notoriamente bem protegida por cercas, radares e guardas fortemente armados.

Depois de mais de 60 anos de operações, o propósito primordial da base continua um mistério, o que cria essa aura de segredos que intriga todos os tipos de céticos e teóricos da conspiração por décadas, registra o site Olhar Digital.


Cervejaria deixa você dormir dentro do estabelecimento

Cervejaria deixa você dormir dentro do estabelecimento

Ter que fazer todo o trajeto para casa após um happy hour com os amigos pode ser cansativo. Mas não no Casa Avós. O negócio, localizado em São Paulo, une cervejaria, hostel e bar em um único estabelecimento.

A ideia começou em 2016, com a inauguração da Cervejaria Avós, especializada na produção de cervejas do tipo lager.

Para sediar a empresa, o empreendedor Junior Bottura alugou uma casa de 80 anos no bairro Vila Ipojuca, na zona oeste de São Paulo. Mas o que ele não esperava é que o negócio fosse adquirir um clientela muito específica: os vizinhos.

Casa Avós: negócio diversificado (Foto: Reprodução/ Airbnb)

Quando conheceram as cervejas da Avós, os moradores do bairro passaram a visitar a cervejaria com frequência. Muitas vezes, eles até mesmo levavam cadeiras para beber na calçada. Percebendo uma oportunidade de negócio, o empreendedor resolveu expandir o negocio. Nascia, no fim do ano passado, o bar-empório Casa Avós. Os preços das cervejas variam entre R$ 8 e R$ 25.

O nome do negócio, que inicialmente foi dado em homenagem às avós de Bottura, acabou refletindo também na proposta do estabelecimento. As paredes de tijolos, mobília e outros aspectos da decoração antiga passam para o cliente a sensação de que está na casa de sua família. 

Hostel da Casa Avós: torneira de chope exclusiva (Foto: Reprodução/ Airbnb)

O segundo andar do prédio abriga um pequeno hostel. Lá, os clientes também têm uma torneira de chope exclusiva. A cobrança do consumo é feita na base da confiança, com o cliente informando a quantidade de copos consumidos no momento do check-out.

Reservas podem ser feitas pelo Airbnb e o valor da diária é de R$ 195.

Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios

Empresa lança lápis que vira planta depois de usado

Empresa lança lápis que vira planta depois de usado

Quando um lápis vai acabando e chega ao famoso “toquinho”, é comum que não reste a ele outro destino a não ser jogado fora.

Não para os da marca Sprout, empresa dinamarquesa que criou um lápis “plantável”, que, se colocado em terra, vira nada menos que uma planta.

Funciona assim: cada lápis contém uma pequena cápsula com sementes. Assim, quando o lápis acaba, basta colocar sua extremidade na terra. A partir daí, pronto, os brotos começaram a surgir conectados ao lápis.

Os lápis tem uma extremidade com sementes (Foto: Divulgação)

A ideia veio de alunos do MIT (Massachussets Institute of Technology), que criaram o primeiro lápis do tipo em 2013. O grupo criou o lápis plantável ao receber o desafio “Desenhe o utensílio de escritório sustentável do amanhã”. 

Hoje, cinco anos depois, a empresa já vendeu 10 milhões de unidades dos lápis plantáveis em mais de 60 países.

A Sprout vende lápis coloridos, pretos e de maquiagem (Foto: Reprodução/Instagram)

Michael Stausholm, um dos fundadores, lembra que 135 milhões de canetas plásticas são feitas por dia. Por isso, em mensagem no site da empresa, ele aponta que, se cada lápis Sprout virar uma planta, o planeta agradece.

“Se pudermos substituir apenas uma pequena parcela das canetas de plástico com lápis plantáveis, já temos uma boa razão para existir”, diz Stausholm.

Além das sementes, os lápis da Sprout também são feitos com madeira certificada e materiais renováveis.

Os clientes podem escolher customizar os lápis, com frases talhadas na madeira (Foto: Divulgação)

Na Amazon dos Estados Unidos, por exemplo, uma caixa com cinco lápis sai por cerca de US$ 12 (cerca de R$ 44).

Os clientes podem escolher qual tipo de semente querem em seu lápis. Há diferentes tipos de planta, como flores, pé de tomate ou manjericão. Também há a opção de personalizar o lápis, com frases gravadas na madeira.

A Sprout já vendeu 10 milhões de unidades do lápis plantável (Foto: Divulgação)

Além dos lápis para escrita, a Sprout também lançou uma linha de lápis de maquiagem com o mesmo princípio.

“Dez milhões de novas plantas como tomate, manjericão e girassol crescendo do lixo — essa é a humilde contribuição da Sprout para o planeta”, diz uma mensagem no site da empresa.


Ovo de Páscoa de empada é a novidade que você não espera para esta Páscoa

Ovo de Páscoa de empada é a novidade que você não espera para esta Páscoa

Você sabe, Páscoa é época de criatividade. Então, nem vai se espantar com esse estudante de gastronomia. O rapaz merece um Nobel depois de criar nada menos que um ovo de Páscoa de empada.

“Eu não tive muita expectativa para criar, achei que ficaria cru, quebraria fácil ou não iria modelar”, diz nosso Breno Sodré Nunes, quer dizer, o Breno da empada.

A iguaria gastronômica do jovem fez sucesso e anda bombando no Twitter. Ele até tentou chamar a atenção de Paola Carosella. “Um dia te marquei com minhas empadas e agora marco de novo pra vc ver”, escreveu para a jurada do MasterChef.

Breno contou ao blog ID que os planos nasceram depois de uma brincadeira com uma cliente. O estudante de gastronomia revela que as pessoas começaram a encomendar o ovo de empada.

“Estou adorando todas as mensagens que tenho recebido, ideias, dicas e sendo inspiração para outras pessoas”. Breno pretende entregar pelo menos 60 ovos de Páscoa de empada com recheio de frango.

Ele explica que outros chefs e vendedores de empada fizeram contato interessados na novidade criativa. “Quem eu não puder atender, eu indico outras pessoas que produzem esses ovos”.


Hypeness

Mércurio, não Vênus, é o planeta mais próximo da Terra, diz estudo

Mércurio, não Vênus, é o planeta mais próximo da Terra, diz estudo

Cientistas da Nasa calcularam a distância média entre os planetas, considerando a trajetória de suas órbitas, e chegaram a um resultado diferente do senso comum.

No colégio, os professores ensinam os alunos a memorizar os planetas do sistema solar pela ordem de distância do Sol: “Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno”. Por isso, quando nos perguntam qual é o planeta mais próximo da Terra, é intuitivo responder: Vênus. Porém, cientistas da Nasa atestaram que não é bem assim.

Na verdade, o planeta mais próximo da Terra, em média, é Mercúrio. Escrevendo no periódico Physics Today, os pesquisadores explicam que a forma usada comumente para calcular a proximidade dos planetas é simples demais, e não apresenta a realidade considerando o trajeto de suas órbitas. E essa confusão está intimamente ligada à forma como se mede as distâncias no sistema solar: para calcular a distância dos planetas entre si, usa-se como base a distância média entre os planetas e o Sol, estabelecida em Unidades Astronômicas (AU).

A Terra, claro, é o padrão: a distância média entre o nosso planeta e o Sol é de 149,6 milhões de quilômetros, ou 1 AU, enquanto a de Vênus é de cerca de 0,72 AU. Com base nesses valores, calcula-se que a distância média entre Terra e Vênus é de apenas 0,28 AU — a menor ao se comparar a distância da Terra com qualquer outro planeta.

Superinteressante

Mulheres criam movimento pela ‘monocelha’ e fazem sucesso nas redes sociais

Mulheres criam movimento pela ‘monocelha’ e fazem sucesso nas redes sociais

Sophia Hadjipanteli, assumiu a sobrancelha volumosa em seu dia a dia e faz campanhas publicitárias de forma natural com os pelos fartos, e assim muitas mulheres começaram a deixar de tirar os pelos que antes eram considerados excessos.

Desde então, a bela modelo criou o #unibrowmovement que, em português, pode ser traduzido para ‘movimento pela monocelha’, e tem conseguido atingir muitas adeptas.

De acordo com ela, o objetivo do movimento, é a auto aceitação e a livre escolha por tirar ou não pelos do corpo, sem que isso seja uma imposição da sociedade e até mesmo do mercado da beleza.

O movimento vem ganhando força nas redes sociais e a hashtag tem mais de duas mil fotos de meninas de diferentes países que também assumiram a sobrancelha natural.

Confira na galeria:

Os segredos do médico japonês que estudou a longevidade e viveu 105 anos

Os segredos do médico japonês que estudou a longevidade e viveu 105 anos

Qual o segredo para se ter uma vida longa, feliz e saudável? Podemos ainda não ter certeza sobre uma fórmula 100% eficaz, mas talvez os ensinamentos do Dr. Shigeaki Hinohara possam nos levar adiante quando se trata de longevidade. Pelo menos para o médico funcionou bem, já que ele viveu 105 anos, ativo e consciente, atuando na medicina.

Hinohara foi um dos responsáveis pela construção das fundações da medicina japonesa, e ajudou consideravelmente o Japão a se tornar o líder mundial da longevidade, ele não somente pregava um estilo de vida, como fazia dele a sua rotina.

Uma vida de trabalho

O médico, que foi presidente da Universidade Internacional de St. Luke, e presidente honorário do hospital de mesmo nome, tinha uma série de recomendações básicas que proporcionam uma vida longa e saudável. Em entrevista ao Japan Times, ele revelou o seu segredo para viver mais, e uma das dicas é: não se aposente, e se for realmente necessário, faça depois dos 65 anos.

Ele explica o motivo, já que no Japão a idade para se aposentar era de 65 anos quando a expectativa de vida era 68. Hoje em dia, as pessoas estão vivendo mais, e a expectativa de vida aumentou para 84 anos, então ele recomenda que as pessoas também devam se aposentar mais tarde.

Segundo Kawaguchi, que trabalhava com o médico, ele acreditava que o propósito da vida era a contribuição, “Ele tinha esse incrível impulso para ajudar as pessoas, acordar cedo e fazer algo maravilhoso para outras pessoas. Isto é o que o estava dirigindo e o que o manteve vivo”, disse ela em entrevista à BBC.

O seu segredo de longevidade

Na entrevista, ele compartilhou outras orientações para se ter uma vida longa. Entre elas uma que talvez não esteja muito de acordo com o que os médicos normalmente orientam os seus pacientes.

Não se preocupe tanto em comer bem ou dormir mais, ao invés disso, se divirta! “Todos nós nos lembramos de como quando crianças, quando estávamos nos divertindo, esquecemos de comer ou dormir. Acredito que podemos manter essa atitude como adultos também. É melhor não cansar o corpo com muitas regras, como a hora do almoço e hora de dormir”.

Mas ainda assim esteja atento ao excesso de peso se quiser viver muito.

“No café da manhã, eu tomo café, um copo de leite e um pouco de suco de laranja com uma colher de sopa de azeite. O azeite é ótimo para as artérias e mantém minha pele saudável. Almoço é leite e alguns biscoitos, ou nada quando eu estou ocupado demais para comer. Nunca fico com fome porque me concentro no meu trabalho. O jantar é um pouco de peixe e arroz e, duas vezes por semana, 100 gramas de carne magra”.

O médico que recomenda que você não siga cegamente tudo o que seu médico te recomendar.

“Quando um médico recomenda que você faça um teste ou faça alguma cirurgia, pergunte se o médico sugeriria que seu cônjuge ou filhos passem por esse procedimento. Ao contrário da crença popular, os médicos não podem curar a todos. Então, por que causar dores desnecessárias? Com cirurgia? Eu acho que música e terapia animal podem ajudar mais do que a maioria dos médicos imagina”.

Uma forma de anestesiar a dor é a diversão.

“A dor é misteriosa, e se divertir é a melhor maneira de esquecê-la. Se uma criança tem dor de dente e vocês começam a jogar um jogo juntos, ela imediatamente esquece a dor. Os hospitais precisam atender às necessidades básicas dos pacientes. Todos querem se divertir. No St. Luke temos terapias musicais, animais e aulas de arte”.

E aí,  você não acha que são dicas fáceis de adaptar ao seu dia a dia? Vai tentar seguir os conselhos do médico para ter uma vida mais longa?

Arqueologos abriram uma caverna selada há mais de 1000 anos

ARQUEÓLOGOS ABRIRAM UMA CAVERNA SELADA HÁ MAIS DE 1000 ANOS

A arqueologia tenta todos os dias recuperar traços perdidos da história da humanidade. Além disso, os arqueólogos buscam comprovar ou desmentir teorias que surgem ao longo dos tempos sobre fatos históricos.

A cada dia que passa, nosso conhecimento se enriquece cada vez mais com as descobertas que são feitas por arqueológos. Os cientistas fazem cada descoberta que nos deixa impressionado em como era a vida no passado, e algumas delas nos mostram algumas coisas que nós usamos hoje e que já eram usadas pelos nossos antepassados.

Em 1966, alguns fazendeiros encontraram por acaso uma caverna que estava oculta, e então e alertaram um arqueólogo mexicano que logo que soube, lacrou a entrada. Mas décadas se passaram e o lugar foi esquecido, menos por Luis Un, que não o esqueceu.

Agora com 68 anos, Un levou outros arqueológos de volta a esse segredo que está sob a antiga cidade maia de Chichén Itzá, que fica ao longo da borda norte da península mexicana de Yucatán.

Achados

Segundo os pesquisadores, o conteúdo dessa caverna foi a descoberta mais importante na região desde os anos 1950. Foram achados centenas de artefatos maia surpreendentemente bem preservados e protegidos por um tesouro arqueológico chamado Balamkú, que significa a caverna do jaguar.

“Balamkú vai ajudar a reescrever a história de Chichén Itzá”, diz o arqueólogo Guillermo de Anda, do Instituto Nacional de Antropologia e História do México, e diretor do Grande Projeto Aquífero Maia.

“As centenas de artefatos arqueológicos, pertencentes a sete [câmaras de oferendas rituais] documentadas até agora, estão em um estado extraordinário de preservação”, continuou. Segundo os arqueólogos, durante os períodos clássico tardio, entre 700 e 800 d. C, e o clássico terminal, entre 800 e 1000 d.C, Yucatán sofreu com secas, o que obrigava os antigos habitantes a procurarem por água em outros lugares.

E foi nesses munidouros naturais e no sistema de caverna que ramificava-se delas que os maiais acharam não só água subterrânea, mas também a divindade. “Para os maias antigos, cavernas e cenotes eram considerados aberturas para o submundo”, explicou o antropólogo Holley Moyes, da Universidade da Califórnia, Merced, que não estava envolvido com a equipe.

“Eles representam alguns dos espaços mais sagrados para os maias, que também influenciaram o planejamento do site e a organização social. Eles são fundamentais, extremamente importantes para a experiência maia”, acrescentou.

E por essa adoração da civilização às cavernas que foram habitadas há muito tempo podem conter segredos igualmente grandes como as construções acima do solo. E uma das mais famosas é El Castillo, também conhecido como Templo de Kukulcána, que é uma pirâmide e um dos marcos centrais de Chichén Itzá. E ele está a menos de três quilômetros da caverna que foi explorada recentemente.

Artefatos

E justamente por essa proximidade é que os mais de 200 artefatos são um achado importante. “Como o contexto permaneceu fechado por séculos, ele contém informações valiosas relacionadas à formação e queda da antiga ‘Cidade dos Magos da Água’, e sobre aqueles que foram os fundadores deste local icônico”, diz de Anda.

O que foi encontrado até agora na caverna foram titulares de incenso, recipientes para alimentos e para beber e vários com a iconografia de Tl?loc, o deus da água, que aparece em diferentes formas.

E alguns dos achados contêm traços antigos de alimentos, ossos, minerais e sementes. E com essa análise, os pesquisadores poderiam aprender mais sobre as pessoas que habitaram esse espaço oculto.

E outras descobertas podem ser esperadas, já que uma caverna se estende por centenas de metros que ainda precisam ser explorados. E os artefatos são preservados porque Balamku é como se fosse um esconderijo natural. E a equipe continuará procurando por uma possível ligação com a pirâmide vizinha.

Fatos Desconhecidos

7 formas bizarras que já tentaram provar que a Terra é plana

7 formas bizarras que já tentaram provar que a Terra é plana

Apesar de desde o primário aprendermos que a Terra é redonda e que integra junto de outros 7 planetas o Sistema Solar (afinal, Plutão que era considerado um planeta, recentemente foi rebaixado na classificação astronômica), existem algumas pessoas que acreditam que isso tudo seja uma grande invenção.

O movimento da Terra plana existe há algum tempo, no entanto, o vimos crescer, ao menos em popularidade, nas redes sociais há alguns anos. Pensando nisso, hoje, trouxemos para vocês alguns dos argumentos usados pelos defensores de tal teoria para atestar sobre como o planeta Terra poderia ter um formato de disco de vinil. Confira!

1 – Horizonte não curvo

O rapper B.o.B em um tweet excluído publicou uma foto no topo de uma colina, onde a paisagem de uma cidade estava ao fundo com a seguinte legenda: “A cidade ao fundo está a aproximadamente 25 km de distância…. onde está a curva?”. Essa ideia de que o horizonte precisa ser curvo para Terra ser comprovadamente redonda, atesta a ignorância sob algo muito importante.

A Terra possui um diâmetro médio de 12.742 quilômetros. Em outras palavras, a Terra é gigantesca. Caso uma formiga estivesse sentada sobre uma bola de 1.000 metros de diâmetro, ela não seria capaz de distinguir muitas curvas.

Mas caso alguém ainda queira atestar a curvatura da Terra, basta dar uma olha nesse vídeo, acima, da estratosfera da Terra feito por estudantes de física da Universidade de Leicester, no Reino Unido, utilizando um balão meteorológico de alta altitude.

2 – Ninguém jamais atravessou as fronteiras da Antártida

Alguns defensores da Terra plana acreditam que na Antártida exista uma gigantesca parede de gelo que nos impede de cair no espaço, em um mundo em formato de disco. Para sustentar tal teoria, eles dizem que nenhuma pessoa jamais atravessou todo continente. Mas sabemos que isso não é verdade.

Pessoas já cruzaram a Antártida muitas vezes. Até mesmo existe o Polo Sul da Inacessibilidade, que é a região mais longínqua da Antártida. Atravessar a Antártida é algo completamente possível, no entanto, uma tarefa incrivelmente difícil.

3 – A Terra é estacionária

A Terra está girando nesse momento em uma velocidade de cerca de 1.600 quilômetros por hora, mas a sensação que temos é de que estamos parados, certo? O mesmo acontece quando estamos viajando de avião a 926 quilômetros por hora e não sentimos toda essa velocidade. Mas não podemos nos enganar, a rotação da Terra é constante.

A atmosfera terrestre é uma das responsáveis por tal efeito. Caso repentinamente o mundo parasse de girar, por algum motivo, seríamos capazes de sentir seu movimento, e obviamente, as consequências disso.

4 – As imagens do espaço são editadas

Muitas pessoas acreditam que, apesar de serem capturadas por órgãos e sérias agências, como a NASA, as fotos capturadas da Terra no espaço seriam fotos editadas em softwares de edição como o Photoshop. Já parou para pensar em quanto dinheiro a Agência Espacial Americana não gastaria com ilustradores e designers para poder esconder que a Terra é plana?

Sim, existem imagens onde ajustes e edições precisam realizadas, mas isso não quer dizer que tais imagens sejam falsas. Em algumas imagens é feito tratamento de cor para, por exemplo, ilustrá-las, aprimorar ou destacar certos recursos. Um bom exemplo é a imagem AS17-148-22727, da NASA, que foi tirada em 7 de dezembro de 1972.

5 – Método Zetético

No método zetético, se diz que nossos sentidos são supremos, que todo conhecimento sobre a realidade deverá ser alcançado através de nossa observação pessoal. Ou seja, se nossas experiências individuais nos dizem que a Terra é plana, porque parece ser plano, então ela é plana.

Bom, já sabemos que esse método, de confiar em nossos sentidos, pode ser bem falho. Uma boa prova disso são as ilusões de ótica. Existem muitas coisas além de nossas observações e experiências.

6 – Vênus e Mercúrio podem ser vistos à noite

O YouTuber D. Marble é um dos principais defensores da teoria da Terra plana. Certa vez, ele levantou um questionamento: “Se a Terra é um globo, como podem os ‘planetas’ entre a Terra e o Sol serem vistos à noite? Eu vou esperar”. Bom, claramente, Marble está falando de como vemos Mercúrio e Vênus à noite, porque ele está supondo que tais planetas seriam colocados entre o lado iluminado pelo Sol da Terra.

Na verdade, não podemos ver realmente Mercúrio e Vênus à noite de qualquer maneira. Também é bem raro que possamos ver Mercúrio a olho nu. Você pode ver esses planetas vez ou outra durante horas crepusculares, como no nascer e no pôr do sol, uma vez que nem sempre eles estão diretamente entre o Sol e a Terra.

Além do mais, os planetas não estão perfeitamente alinhados como estamos acostumados a aprender nos gráficos mostrados por nossos professores na escola. Cada planeta está em uma órbita diferente e em velocidades diferentes.

7 – Raios solares

Defensores da Terra plana argumentam que os raios solares crepusculares provam que o Sol não está distante de nós como imaginamos. Caso o Sol estivesse a 149,6 milhões de quilômetros de distância, então os raios deveriam estar paralelos na Terra e não como na imagem acima.

A verdade é que os raios são de fato paralelos. O feito que notamos é causado pela perspectiva. É o mesmo que acontece com os trilhos dos trens que parecem convergir quando olhamos para eles de uma determinada distância.

FATOS DESCONHECIDOS