Prefeitura determina que passagens de ônibus sejam pagas somente por ‘cartão’

Prefeitura determina que passagens de ônibus sejam pagas somente por ‘cartão’

O pagamento da tarifa única no serviço de transporte coletivo público de Manaus será realizado somente por meio eletrônico. O decreto com a medida foi publicado ontem (19) no Diário Oficial do Município (DOM). As empresas têm 60 dias para “universalizar” o Sistema de Bilhetagem Eletrônica.

No decreto N° 4.587, de 19 de Setembro de 2019, a Prefeitura afirma que as empresas concessionárias do serviço de transporte público de Manaus têm o prazo até dia 18 de novembro para “adotar as medidas necessárias ao cumprimento da determinação, a fim de universalizar o acesso aos bilhetes eletrônicos”. O decreto entrou em vigor a partir de ontem (19).

Ainda no DOM, o órgão municipal alega que a medida é necessária “considerando a necessidade da adoção de medidas que permitem maior segurança aos usuários e trabalhadores do sistema de transporte público de Manaus”.

A Prefeitura também destaca que o pagamento da tarifa única permitirá mais transparência no fluxo de receitas do sistema de transporte público de Manaus. A determinação não cita o que será feito com os cobradores dentro dos ônibus de Manaus.

Família de universitário desaparecido teme que jovem tenha sido vítima de acerto de contas

Família de universitário desaparecido teme que jovem tenha sido vítima de acerto de contas

Familiares do universitário do curso de Nutrição, João Marco Santiago Santos, 22, temem que o desaparecimento do jovem desde o dia 13 de setembro tenha ligação com acerto de contas. O estudante já havia sido preso em flagrante em janeiro de 2019 e condenado pelo transporte de 251 tabletes de maconha.

Conforme decisão proferida pela Justiça do Amazonas em agosto, a qual a reportagem do Portal A Crítica teve acesso, João Marco teve a pena de seis anos de reclusão e 600 dias-multa substituída por prestação de serviços à comunidade ou entidades públicas,  a qual ele estaria cumprindo em regime aberto.

Segundo uma familiar do jovem que preferiu não se identificar, após ter sido preso, “Marquinho”, como o jovem é chamado pela família, não havia demonstrado ter qualquer tipo de envolvimento com o mundo das drogas.

“Quando descobrimos que ele havia sido preso, em janeiro, a nossa família ficou arrasada porque foi algo que ninguém conseguia acreditar devido à índole dos pais dele, que são íntegros”, disse. Desde que Marquinho foi preso, ele não demonstrava nenhum tipo de envolvimento com algo ilegal, estava tudo bem, então aconteceu isso de ele desaparecer do nada, de forma estranha”, comentou a familiar.

Desaparecido

João Marco está desaparecido desde o dia 13 de outubro, quando ele havia saído do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), localizado na rua Tomás de Vila Nova, Centro de Manaus. O desaparecido possui uma tatuagem no braço direito com o desenho da imagem de Cristo e palavras em japonês, e era praticante de atividades físicas.

Por volta de 13h, o estudante saiu da unidade hospitalar levando consigo um jaleco e uma mochila preta, de acordo com o pai, Marco Antônio Santos. “Eu sempre deixei ele no hospital, e voltava, por volta de 15h, para pegá-lo”, diz o pai. Na ocasião, João saiu do hospital cerca de 10 minutos depois que havia chegado no local, sem informar para onde iria. Desde então, os familiares não tiveram mais notícias sobre ele.

O contato para envio de informações pode ser feito por meio dos números: (92) 98818-3147, 99434-9423 ou 3238-3673.

Governador Wilson Lima assina decreto que beneficiará produtores rurais durante a 47ª Expoagro

Governador Wilson Lima assina decreto que beneficiará produtores rurais durante a 47ª Expoagro

O governador Wilson Lima assinou, nesta quarta-feira (18/09), um decreto que concede incentivo fiscal e isenta de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviço (ICMS) empresas que irão comercializar maquinário e implementos agrícolas na 41ª Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro), que acontecerá entre os dias 3 e 6 de outubro. A assinatura aconteceu durante a abertura da III Feira de Agronegócios da Nilton Lins, na zona centro-sul de Manaus.

“Isso é uma oportunidade para incentivar o comércio, para incentivar os comerciantes e possibilitar que o produtor tenha acesso ao produto de forma mais econômica e de forma mais barata. E esse é o compromisso das empresas também, de facilitar o acesso a esse pequeno produtor e, dessa forma, nós estamos incentivando o setor primário como parte daquela nossa estratégia, inclusive com o lançamento do Plano Safra e de outros programas desenvolvidos nesse setor”, afirmou o governador.

O decreto valerá apenas para as empresas que estiverem estabelecidas durante o evento vendendo qualquer maquinário, insumos e implementos agrícolas, ligadas ao setor agropecuário.
Segundo o secretário de Estado da Produção Rural, Petrúcio Júnior, a ação do governo é mais um incentivo aos produtores e à realização de mais feiras agrícolas tanto na capital quanto no interior.

“Nós estamos fazendo isso não só na capital, mas apoiamos também as feiras do interior, como é o caso de Humaitá, Apuí, Boca do Acre, Autazes, Rio Preto da Eva. Então, é um compromisso porque feira é a oportunidade que o produtor tem de comercializar produtos e também adquirir equipamentos, e aqui nós temos o diferencial, que foi o decreto assinado agora há pouco pelo governador Wilson Lima, que garante incentivos fiscais a quem fornece equipamentos”, afirmou o secretário.

Produtor –Fábio Silva se considera um ex-paulistano. Há 35 anos em Manaus, ele abraçou os insumos amazônicos e iniciou uma caminhada no empreendimento turístico e gastronômico. Hoje, ele produz farinhas, castanhas, bebidas, azeites, todos com um toque regional, e há três anos comercializa nas feiras em parceria com a Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), da Sepror.

“É até difícil falar o quão importante isso é, não só pra mim, mas para os produtores e para a população, mas eu posso exemplificar com um dado concreto: há 10 anos Manaus estava entre as cidades que mais engordava no país, por conta da facilidade de alimentos industrializados e o baixo poder aquisitivo, e a falta de oportunidades de produtos saudáveis nos supermercados e nas feiras. Hoje, a ADS tem 11 feiras na cidade e outras tantas no interior, onde o produtor chega diretamente ao consumidor e não só permitiu o produto regional ter vazão e condição de produção, mas a adaptação de produtos exóticos à nossa flora e a nossa fauna começou a se dar melhor”, afirmou.

Também veterano nas feiras realizadas pela ADS, Bruno Cesar de Oliveira ajuda a família na venda de farinha do Uarini. O produto, temperado ou natural, é comercializado nas feiras há pelo menos quatro anos.

“A importância pra gente é que estão valorizando nosso trabalho. A gente faz a farinha, traz pra comercializar e a um preço bem mais barato. Todos os produtos aqui saem bem mais baratos que comprar no supermercado. É bom para ambas as partes, tanto pra gente, quanto para o consumidor”, afirmou.

Feira do Agronegócio –A Feira de Agronegócios da Nilton Lins iniciou nesta quarta-feira (18/09) e segue até o próximo domingo (22/09). Com expectativa de receber cerca de 200 mil visitantes, o evento conta com serviços e exposições da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), das Agências de Desenvolvimento Sustentável (ADS) e de Defesa Animal (Adaf) e do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam).

FOTOS: DIEGO PERES/SECOM

Calor e alta umidade podem ocasionar mais temporais em Manaus, diz Sipam

Calor e alta umidade podem ocasionar mais temporais em Manaus, diz Sipam

O calor e a alta umidade registrados em Manaus podem ocasionar novos temporais acompanhados de fortes rajadas de vento, na cidade, nos próximos dias. A informação é da Divisão de Meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), que ontem chegou a registrar ventos com velocidade de 48 quilômetros por hora (Km/h) numa temperatura que variou entre 33 e 22 graus (ºC).

O órgão afirma ainda que o temporal de ontem foi aconteceu devido uma instabilidade temporal que afetou o clima na cidade, ocasionando fortes ventos e chuva intensa.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMA), até às 17h de ontem, a corporação foi acionada para atender cinco ocorrências de quedas de árvores em decorrência do temporal.

Uma dos casos foi registrado na avenida do Turismo, bairro Ponta Negra, Zona Oeste da cidade, onde uma árvore caiu devido as fortes rajadas de vento e bloqueou temporariamente a via.

Na avenida Senador Cunha Melo, no bairro São Jorge, também na Zona Oeste, uma panificadora foi destelhada. O vento lançou a estrutura na fiação elétrica.

Falta de luz e água

Vários pontos da capital também sofreram interrupções de energia elétrica. Por meio de nota, a Amazonas Energia chegou afirmar que 75 imóveis foram afetados em decorrência do desligamento de 15 transformadores e, que reforçou uma equipe para atendimentos de demandas decorrentes de temporais, disponibilizando atendimento 24h por seus canais de atendimento (call center 0800 701 3001, app e site).

Por conta da falta de energia, houve suspensão do fornecimento de água nas Norte, Oeste, Centro-Oeste, Sul e no Distrito Industrial. Houve desligamentos de estações de produção de água e de diversos sistemas.

Em nota, a Águas de Manaus explicou que os bairros nestas regiões poderiam apresentar oscilações no fornecimento de água tratada, mas que o serviço estava sendo condicionado ao reestabelecimento da energia elétrica.

Previsão de mais chuva

Novos temporais podem ocorrer hoje, segundo o site do Inmet, que destaca 95% de chance de chuva para todo o dia, com temperatura mínima de 24° e máxima de 33°.

Em Coari, prefeitura promove capacitação em gastronomia

Em Coari, prefeitura promove capacitação em gastronomia

Coari/Am – Os coarienses agora têm mais uma opção de qualificação profissional, isso porque a prefeitura de Coari, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (SMDES), está promovendo uma série de oficinas de gastronomia.

A iniciativa faz parte do programa “Capacita Coari”, que visa qualificar a população do município melhorando a mão de obra local.

As oficinas tiveram início na manhã de segunda-feira, 16 de setembro, e seguem durante 20 dias. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Social, Júlio Sales, aproximadamente 500 pessoas devem ser qualificadas na área de gastronomia.

“As oficinas tiveram início na segunda com o preparo de risotos e, em sequência, produção de massas italianas e segue durante os 20 dias com aulas sobre as diversas técnicas. Tudo para aprimorar a mão de obra local e assim potencializar nosso mercado de trabalho”, finalizou o secretário.

As capacitações estão sendo ministradas pelo professor e gastrônomo Rafael Guedes dos Santos e ocorrem no prédio do “Capacita Coari”, localizado nas dependências da SMDES, na rua Genival Guerra, bairro Duque de Caxias.

Aeronave cai na mata após decolar do aeroporto Eduardo Gomes

Aeronave cai na mata após decolar do aeroporto Eduardo Gomes

Aeronave da empresa Two Flex Táxi Aéreo caiu próximo do aeroporto Eduardo Gomes. O acionamento do corpo de bombeiros foi efetuado por um dos tripulantes. Matrícula PTHC de propriedade da TWO Taxi Aereo LTDA, modelo 208B.

O que se tem informação até o momento é que a aeronave decolou e minutos depois acabou caindo. Os destroços do avião estão nas proximidades do depósito da LATAM. O avião iria fazer o trajeto Manaus-Maués.

Informações de que não houve vítima fatal, o exército ajuda nas buscas e um sobrevivente já foi retirado com vida.

O contador da Prefeitura de Maués está entre os sobreviventes preso nas ferragens.

Mais informações em instantes.

Força-Tarefa cobra indenização de R$ 58,7 milhões contra Amazonas Energia por apagão em Iranduba e Manacapuru

Força-Tarefa cobra indenização de R$ 58,7 milhões contra Amazonas Energia por apagão em Iranduba e Manacapuru

A Força-Tarefa do Consumidor ajuizou, nesta segunda-feira (16/09), o pedido de indenização por danos morais coletivos contra a concessionária Amazonas Energia por causa do apagão elétrico que atingiu as cidades de Iranduba e Manacapuru na segunda quinzena de julho. Na ação, o grupo formado pela Defensoria Pública do Estado (DPE-AM), Ministério Público Estadual (MPE-AM) e Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/ALE-AM) pede que a concessionária seja condenada a pagar R$ 58,7 milhões.

Conforme o pedido da Força-Tarefa, 70% da multa (R$ 41,1 milhões) seriam destinados pela própria Amazonas Energia para a realização de melhorias e investimentos no sistema de distribuição e fornecimento de energia elétrica aos municípios afetados pelo apagão. O valor restante (R$ 17,6 milhões) deve ser revertido para o Fundo Estadual de Defesa do Consumidor, conforme previsão do Artigo 13 da Lei 7.347/1985.


O objetivo da divisão de valores, segundo o defensor público Thiago Rosas, é buscar não só a compensação pelos danos morais coletivos causados, mas também a melhoria do serviço prestado aos consumidores afetados pelo blecaute.


“Esses 70% devem ser revertidos em obras, a fim de que não ocorra mais o que aconteceu no último apagão. O investimento precisa ser comprovado pela empresa, sendo o cumprimento da obrigação de pagar condicionado ao envio de relatórios trimestrais sobre os gastos realizados”, explica Thiago Rosas, que é titular da Defensoria Pública Especializada de Interesses Coletivos.

Para a definição do valor da indenização, a Força-Tarefa considerou a duração do apagão e a quantidade de pessoas afetadas. Iranduba e Manacapuru ficaram sem energia elétrica por cerca de 288 horas entre os dias 19 e 30 de julho deste ano, prejudicando aproximadamente 200 mil habitantes da Região Metropolitana de Manaus.

A Força-Tarefa argumenta no processo que a Amazonas Energia não informou a população sobre os meios de ressarcimento dos danos, como solicita a Resolução 414 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Durante audiência pública promovida pela Força-Tarefa em Iranduba durante o período do apagão, por exemplo, a empresa não atendeu a uma recomendação para que montasse estandes no local oferecendo instruções aos consumidores.

Outro ponto destacado na ação é o Artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor. Segundo a legislação, o fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços.

Defensoria também move ações individuais

Além do pedido de indenização por danos morais coletivos, a Defensoria Pública do Estado também está ingressando com ações individuais de indenização por causa dos transtornos provocados pelo apagão.

Na última semana, a DPE-AM realizou dois mutirões em Iranduba e Manacapuru para atender cidadãos que desejam ingressar com ações individuais de indenização. Ao longo dos dois serviços, 601 pessoas procuraram a Defensoria. Os valores cobrados são analisados caso a caso, mas o pedido mínimo em cada processo é de R$ 10 mil.

“Para defender os direitos da população, a Defensoria tem a estratégia de atuar em duas frentes. Ao lado dos demais órgãos na Força-Tarefa, protocolamos a ação de Danos Coletivos. Já com as ações individuais, buscamos o ressarcimento dos danos morais e materiais sofridos por cada pessoa prejudicada. Vamos continuar com o ajuizamento, de acordo com a demanda da população que nos procura”, ressalta o defensor Thiago Rosas.

Os moradores de Iranduba e Manacapuru que desejam ingressar com ações individuais de indenização podem procurar o Grupo de Trabalho do Interior (GTI) da Defensoria, localizado na rua Maceió, 307, Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul de Manaus, segunda e quarta-feira, a partir das 7h.

FOTO: Divulgação/DPE-AM

Cinco morrem e dois ficam feridos em tiroteio no bairro Tarumã

Cinco morrem e dois ficam feridos em tiroteio no bairro Tarumã

A Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS) está nas ruas investigando os cinco homicídios e duas tentativas registradas na noite de domingo (15), na rua Santa Helena, Parque São Pedro, Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

Foram mortos Mario Jorge da Cunha Ramos, 46, Wendhew Santos Souza, 18, José Augusto Brazão Barros, 19, Jailson Gouveia de Almeida, 38, e Afrânio Rodrigues Samir, 20. Seguem internados no Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz, Maxwell Rodrigues Ramos, 22, e Fabrício da Silva Almeida, 20.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, as vítimas estavam em uma confraternização quando dois carros, um de cor branca e outro de cor prata, chegaram efetuando vários disparos de arma de fogo. Um dos veículos era um Corolla prata de placa não identificada. Na ocasião, quatro vítimas vieram a óbito no local e três foram conduzidas a uma unidade hospitalar. Entretanto, Afrânio da Silva Samir morreu a caminho do HPS Delphina Aziz, de onde o corpo foi removido.

Conforme a delegada Zandra Ribeiro, titular interina da DEHS, logo após o delito, policiais civis lotados no plantão da especializada estiveram no local do crime e coletaram informações preliminares da ocorrência. Ribeiro destacou, ainda, que as equipes de investigação da DEHS estão realizando diligência com o intuito de identificar e prender os envolvidos no delito, bem como desvendar a motivação do crime.

Foram constatadas no local diversas cápsulas de calibre PT 40. Segundo a delegada Marília Campello, adjunta da DEHS, uma equipe de investigadores está em campo para apurar o crime.

Quatro das sete vítimas já possuíam passagens pela polícia. Jailson possuía passagem por roubo; Afrânio respondia pelos crimes de tráfico de drogas e roubo; Mário Jorge por roubo, e Wendhew possui registro no Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) por injúria, dano e ameaça. Também foi encontrado um mandado de prisão do município de Manaquiri em nome de Afrânio da Silva Samir.

Conforme o coronel Bruno Azevedo, comandante do Comando de Policiamento Especializado (CPE), viaturas das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) estão no local do crime, fazendo uma saturação na área, assim como os policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), os pacientes Maxwell Rodrigues Ramos e Fabrício da Silva Almeida deram entrada no  HPS Delphina Aziz realizaram exames e receberam atendimento médico. Posteriormente, Maxwell foi transferido para o HPS 28 de Agosto, aos cuidados da urologia e ortopedia, enquanto Fabrício foi encaminhado para o HPS Platão Araújo, aos cuidados da ortopedia e da cirurgia geral.

Paraquedista fica gravemente ferido ao despencar sobre fios de alta tensão no Amazonas

Paraquedista fica gravemente ferido ao despencar sobre fios de alta tensão no Amazonas

Foto ilustrativa

Manaus/AM – Um homem de 34 anos ficou gravemente ferido ao tentar saltar de paraquedas de uma torre de telefonia no Km 54, da rodovia AM-010,  que liga Manaus ao município de Itacoatiara, no interior do Amazonas.

Segundo testemunhas, na hora do salto o equipamento não abriu e o homem acabou caindo em cima de um fio de alta tensão e em seguida despencou no chão.

Desesperadas, as pessoas que o acompanhavam interceptaram uma ambulância que passava pela estrada levando outra paciente para Itacoatiara. Os socorristas atenderam a vítima e o levaram para o Hospital José Mendes.

Eles contam que o fio amorteceu a queda que poderia ter matado o homem. Ainda assim, o mesmo sofreu ferimentos graves e precisou ser transferido para Manaus em um helicóptero. No Hospital João Lúcio ele passou por uma cirurgia ortopédica e outra na cabeça, ele segue internado, mas o estado dele é estável.

Arthur pede a ministro recursos da Lava Jato para Manaus e municípios

Arthur pede a ministro recursos da Lava Jato para Manaus e municípios

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), pediu nesta quinta-feira, dia 12, que o governo federal destine parte dos recursos recuperados na operação Lava Jato aos municípios.

“Seria injusto, já que temos um pacto federativo torto, destinar recursos simplesmente aos Estados, esquecendo-se dos municípios onde vivem as pessoas”, afirmou.

A proposta foi recebida pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, durante audiência com a direção executiva da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), no Palácio do Planalto, em Brasília.

A comitiva entregou ao ministro a pauta prioritária da FNP, que inclui, entre outras demandas, o novo pacto federativo.

“A principal reivindicação é a revisão do pacto federativo que deve deixar mais dinheiro nas cidades. O dinheiro dos impostos vem pra Brasília e não volta para os municípios. Ideal é deixar mais recursos nos municípios para investir mais em saúde, educação e qualidade de vida das pessoas”, defendeu o presidente da FNPe, Jonas Donizette, prefeito de Campinas (SP).

Para o prefeito de Manaus, o governo federal deveria demonstrar que pretende rever o pacto federativo, distribuindo com mais justiça as verbas federais.

Segundo ele, os municípios, que tanto foram prejudicados pela corrupção, deveriam ser diretamente beneficiados pelos gestores e pela gestão desses recursos recuperados pela Lava Jato, se a proposta for aceita.

Fundo da Amazônia

Ainda durante o encontro com o ministro, Arthur Virgílio defendeu que os recursos que estão “parados” no Fundo Amazônia, que foram rejeitados pelo governo federal, sejam usados pelos municípios que integram a Amazônia e que vêm sofrendo com os altos índices de queimadas.

“Esses recursos não devem somente ser investidos no combate às queimadas na Amazônia, mas para projetos de desenvolvimento sustentável, que podem gerar emprego, renda e desenvolver a ideia de que a sustentabilidade é o caminho”, disse.

Arthur destacou que pretende visitar todas as embaixadas de países que colaboravam com o Fundo Amazônia e apresentar, a cada uma delas, um pré-projeto para financiamento de ações em sustentabilidade na cidade de Manaus.

O ministro ouviu as demandas apresentadas pelos prefeitos e comprometeu-se a encaminhá-las.

“Vamos deixar de falatórios e vamos fazer”, declarou.

O ministro também assumiu o compromisso de apadrinhar o movimento dos municípios no combate à dengue.

De acordo com a FNP, o próximo ano será marcado por uma forte epidemia de dengue, que está em crescimento.

Luiz Eduardo Ramos confirmou sua participação na reunião da frente em outubro, em Salvador (BA).

Alcolumbre com prefeitos

O presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), se reuniu com a  comitiva de prefeitos e também recebeu a pauta prioritária da FNP.

Arthur encaminhou o pedido de que os recursos recuperados pela Lava Jato sejam encaminhados também aos municípios.

“O presidente Alcolumbre nos disse que o acordo com o governo federal inclui apenas repasse aos estados, mas que ele vai articular esse pleito das cidades”, concluiu.