Bolsonaro diz que imprensa ‘tem medo da verdade’

Bolsonaro diz que imprensa ‘tem medo da verdade’

O presidente da República, Jair Bolsonaro, teceu duras críticas, nesta quinta-feira (16), ao trabalho dos veículos de imprensa do Brasil.

Em uma cerimônia no Palácio do Planalto, onde foram anunciadas medidas para operação destinada a receber refugiados venezuelanos, Bolsonaro declarou:

“A nossa imprensa tem medo da verdade, deturpa o tempo todo. Quando não conseguem deturpar, mentem descaradamente. E esse o livro dessa japonesa, que eu nem sei o que faz no Brasil, que faz agora contra o governo. São aqueles que o tempo todo trabalham contra a democracia, contra a liberdade.”

O livro em questão é “Tormenta: O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos”, da jornalista Thaís Oyama.

Ainda em seu pronunciamento, o chefe do Executivo acrescentou:

“Essa imprensa que está aqui agora me olhando, estou sob suas lentes. Comecem a produzir verdades porque só a verdade pode nos libertar. Essa imprensa, não tomarei nenhuma medida para censurá-los, mas tomem vergonha na cara! Deixem nosso governo em paz para poder levar paz, tranquilidade e harmonia ao nosso povo.”

Ao final, segundo o portal G1, Bolsonaro ainda disse que a imprensa “precisa começar a vender a verdade”:

“Essa é a obrigação de vocês, não é nenhum favor, não. Nós temos como mudar o destino do Brasil.”

‘Brasil está no caminho certo’, diz Bolsonaro sobre OCDE

‘Brasil está no caminho certo’, diz Bolsonaro sobre OCDE

O presidente da República, Jair Bolsonaro, celebrou, nesta quarta-feira (15), a disposição dos Estados Unidos de apoiar a entrada imediata do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O governo Donald Trump já entregou uma carta à organização apontando o Brasil para ser o próximo país a iniciar o processo de adesão à entidade.

Ao conversar com a imprensa na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília, Bolsonaro declarou:

“A notícia é muito bem-vinda. Eu venho trabalhando há meses em cima disso, de forma reservada, obviamente. São mais de 100 requisitos para você ser aceito. Estamos bastante adiantados, na frente da Argentina e as vantagens do Brasil são muitas. Equivale ao nosso país entrar na primeira divisão.”

Bolsonaro disse, no entanto, que não tem como falar em prazo para que o ingresso ocorra:

“Não posso falar em prazo. Não depende somente do Trump. Se fosse só do Trump, já estava lá. Depende de outros países aí. Estamos vencendo resistências e mostrando que o Brasil é um país viável.”

O chefe do Executivo indicou também que conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a sinalização da Casa Branca:

“Falei com o Paulo Guedes agora pela manhã. A notícia foi muito bem vinda.”


Moro quer ‘novo recorde de apreensão de drogas em 2020’

Moro quer ‘novo recorde de apreensão de drogas em 2020’

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, vem utilizando suas redes sociais para destacar o trabalho das forças de segurança do Brasil, principalmente no que diz respeito às apreensões de drogas.

Neste domingo (12), Moro compartilhou uma imagem de operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que apreendeu 1,1 tonelada de cocaína em Cristalina, no Estado de Goiás, nas proximidades de Brasília.

“Começa bem o ano a PRF, rumo a novo recorde de apreensão de drogas em 2020”, escreveu Moro em mensagem no Twitter.

Já na manhã desta segunda-feira (13), Moro enfatizou que a Polícia Federal (PF) “intensificou a Operação Aliança com o Paraguai para erradicação de plantações de maconha” em 2019.

“Foram 4 operações com eliminação do equivalente a 3,4 mil toneladas de maconha, mais do que o total conjunto de 2017 e 2018, que viriam ao Brasil financiar o crime organizado”, acrescentou o ministro, que compartilhou a imagem de uma tabela com informações mais detalhadas.


DPVAT: Toffoli recua e mantém redução nos valores

DPVAT: Toffoli recua e mantém redução nos valores

Em recuo, Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu restabelecer a resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), que reduziu os valores cobrados pelo seguro DPVAT.

Toffoli explicou, nesta quinta-feira (9), que no pedido de reconsideração da decisão, a União informou que, no orçamento das despesas o Consórcio DPVAT aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para o ano de 2020, houve supressão de R$ 20,3 milhões.

No último dia de 2019, o ministro do STF havia atendido um pedido feito pela Seguradora Líder, consórcio que administra o DPVAT, e que tem como um dos sócios o presidente do Partido Social Liberal (PSL), deputado Luciano Bivar (PE).

O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou na última sexta-feira (3) que a Advocacia-Geral da União (AGU) iria recorrer da decisão.

“Conversei com André Mendonça [advogado-geral da União], que vai questionar essa questão no Supremo”, disse Bolsonaro.

“Assim, a redução da tarifa em decorrência da existência de superávits acumulados não somente está alinhada com os preceitos técnicos da tarifação do Seguro DPVAT como é absolutamente necessária para que os recursos arrecadados a maior nos anos anteriores cumpram seu objetivo previsto em norma (pagamento de sinistros e despesas com sinistros), e compensem os pagamentos majorados realizados pelos proprietários de veículos nos anos anteriores”, disse Toffoli na decisão desta quinta-feira, informa o jornal Valor.

Vamos manter comércio com o Irã, diz Bolsonaro

Vamos manter comércio com o Irã, diz Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou, nesta terça-feira (7), que o Brasil manterá o comércio com o Irã.

“Temos comércio com o Irã e vamos continuar esse comércio”, disse Bolsonaro em rápida conversa com jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília.

O chefe do Executivo destacou que o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, “está fora do Brasil”, mas que “chegando aqui vou conversar com ele”.

Bolsonaro acrescentou que o regime islâmico em Teerã não adotou qualquer medida contra o Brasil, mas que o país precisa “ter a capacidade de se antecipar a problemas”, segundo a agência Reuters.

O presidente brasileiro também afirmou que “por enquanto” está mantida a viagem a Davos para o Fórum Econômico Mundial neste mês. 

Nesta segunda-feira (6), Bolsonaro havia alertado para a possibilidade de não participar do evento em Davos, na Suíça, por questões de segurança.

Multa adicional de 10% do FGTS está oficialmente extinta

Multa adicional de 10% do FGTS está oficialmente extinta

A partir desta quarta-feira, 1º de janeiro de 2020, os empregadores deixarão de pagar a multa adicional de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em demissões sem justa causa.

A taxa foi extinta por lei sancionada no último dia 12 pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que instituiu o saque-aniversário e aumentou o saque imediato do FGTS.

A multa extra aumentava a indenização paga pelas empresas nas dispensas sem justa causa de 40% para 50% sobre o valor depositado no FGTS do trabalhador.

O complemento, no entanto, não ia para o empregado. Os 10% adicionais iam para a conta única do Tesouro Nacional, de onde era repassado ao FGTS, gerido por representantes dos trabalhadores, dos empregadores e do governo, informa a agência EBC.

O fim da multa adicional abrirá uma folga no teto federal de gastos. Isso porque, ao sair da conta única do Tesouro para o FGTS, o dinheiro era computado como despesa primária, entrando no limite de gastos.

Inicialmente, o Ministério da Economia havia informado que a extinção da multa de 10% liberaria R$ 6,1 bilhões para o teto em 2020. No entanto, o impacto final da medida ficou em R$ 5,6 bilhões.

Autor de ataque ao Porta dos Fundos já foi defendido por líder black bloc

Autor de ataque ao Porta dos Fundos já foi defendido por líder black bloc

Um vídeo gravado em meio aos protestos de 2013, no centro do Rio de Janeiro, voltou a circular na internet nos últimos dias.

Nele, a militante de esquerda Elisa Quadros, a “Sininho” do grupo Black Blocs no Rio de Janeiro, anuncia greve de fome de dois colegas e, juntos, pediam a soltura de Eduardo Fauzi

Mais de seis anos depois, Fauzi agora é acusado de ter organizado o atentado à produtora Porta dos Fundos.

A produtora foi atacada com coquetéis molotov na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal.

A polícia militar do Rio identificou um dos suspeitos, Eduardo Fauzi, que, atualmente, é considerado foragido.

Bolsonaro retorna a Brasília para passar Ano Novo

Bolsonaro retorna a Brasília para passar Ano Novo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deixou a Base Naval de Aratu, situada em São Tomé de Paripe, na Bahia, e retornou a Brasília, na manhã desta terça-feira (31).

De acordo com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Bolsonaro deve passar o Ano Novo na residência oficial do Palácio da Alvorada.

O presidente deixou a base por volta das 8h30 em um helicóptero e foi para o Aeroporto de Salvador, onde embarcou as 9h05, informa o portal G1.

A previsão inicial era ele retornar a Brasília somente no dia 5 de janeiro.

Contudo, segundo informações da assessoria, o chefe do Executivo decidiu antecipar o retorno para passar o Ano Novo com a família.

Por razões médicas, a primeira-dama Michelle Bolsonaro não havia viajado com o presidente, somente a filha deles, Laura Bolsonaro, de 9 anos.

Desemprego cai para 11,2% em novembro

Desemprego cai para 11,2% em novembro

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 11,2% no trimestre encerrado em novembro, atingindo 11,9 milhões de pessoas.

Os dados foram divulgados, nesta sexta-feira (27), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esta foi a segunda queda seguida do indicador do desemprego, que ficou em 11,6% nos três meses até outubro.

Com isso, a taxa de desemprego é a menor desde o trimestre encerrado em março de 2016, quando foi de 10,9%.

Nos meses de maio e abril de 2016, a taxa foi de 11,2%, informa o portal G1.

Toffoli cometeu ‘flagrante crime de responsabilidade’, diz Janaina

Toffoli cometeu ‘flagrante crime de responsabilidade’, diz Janaina

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) explicou, neste domingo (22), o motivo de ter protocolado o pedido de impeachment do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), no Senado Federal.

Em entrevista ao jornal O Globo, Janaina disse que “Toffoli instaurou um inquérito sigiloso para investigar qualquer um que fale contra o Supremo e distribuiu esse inquérito à revelia das regras de distribuição; pediu para recolher uma revista e na sequência suspendeu todas as apurações instauradas em informações do COAF e da Receita Federal”. 

A parlamentar acrescentou que o ministro “usou o poder dele de maneira absolutamente fora do padrão e, no caso da instauração do inquérito, se valendo da condição de presidente da Corte”.

Janaina considerou que o comportamento do presidente do STF é um “flagrante crime de responsabilidade”:

“Para mim, é flagrante crime de responsabilidade, que se agrava quando a gente constata por força de notícias de que havia movimentações suspeitas por parte dele e da família dele e também do ministro Gilmar Mendes e da sua família.”

Ela acrescentou:

“Não estou dizendo que essas movimentações existam e que, eventualmente, haja algo ilícito, mas uma autoridade não pode usar o seu poder, usar uma roupagem de ação institucional para se blindar.”