Sucessor do PlayStation 4 terá armazenamento em SSD e rodará jogos em 8K

Rumores sobre a próxima geração do console da Sony estão circulando desde o ano passado, mas até agora a companhia japonesa não havia dado muitas informações oficiais sobre o sucessor do PlayStation 4. Isso acabou de mudar após a publicação de uma matéria da revista Wired, que conversou com Mark Cerny, líder de arquitetura do sistema do novo console.

Diversas informações sobre o aparelho foram confirmadas durante a entrevista, mas entre elas não está o nome dele. Embora a tendência natural seja chamá-lo de PlayStation 5, Mark respondeu ao questionamento apenas dando um sorriso e usando o termo “console da próxima geração” para se referir ao dispositivo.

Em relação aos componentes internos, a CPU será baseada na terceira geração da linha Ryzen da AMD, terá oito núcleos e arquitetura Zen 2 de 7 nanômetros. A GPU será uma variação da linha Radeon Navi e tem como grande destaque o suporte a técnica de ray tracing, capaz de simular o trajeto de raios de luz em ambientes tridimensionais complexos, algo que ainda não foi feito em consoles.

Essa técnica também deve contribuir para que os jogos tenham sons ainda mais realistas, podendo simular uma experiência de áudio 3D, com barulhos vindo de qualquer posição, o que deve contribuir especialmente com a imersão de quem costuma jogar usando fones de ouvido

Armazenamento SSD e retrocompatibilidade

A Sony também espera cumprir um dos principais pedidos dos desenvolvedores e mudar a forma de armazenamento interno, saindo do HD e indo para o SSD. Na demonstração a qual a Wired teve acesso, o tempo de carregamento no jogo do Homem-Aranha caiu de 15 segundos em um PlayStation 4 Pro para menos de 1 segundo no novo console.

A mudança na tecnologia de armazenamento também pode mudar a forma como os personagens se movem nos games. Como o carregamento é mais rápido, será possível mover a câmera entre pontos do mapa com mais velocidade, abrindo novas possibilidades de experiência que podem ser exploradas pelos artistas.

Mark também confirmou que esse aparelho é parcialmente baseado na arquitetura do PlayStation 4, o que significa que os jogos da geração anterior serão compatíveis com o novo console. Ele também continuará aceitando mídia física e terá capacidade para rodar jogos em 8K, por mais que as televisões atuais com essa resolução ainda sejam poucas e caras.

Realidade virtual e streaming de jogos

A promessa é que o dispositivo de realidade virtual da Sony, o PlayStation VR, será importante para a futura geração, embora o representante da empresa tenha evitado dar detalhes nessa área. Tudo o que ele disse é que o PS VR atual será compatível com o novo sistema.

Outra novidade aguardada envolve o streaming de jogos, algo que o Google está apostando com todas as forças ao lançar o Stadia. Embora a Sony tenha um serviço que roda jogos na nuvem, o PlayStation Now, Mark não quis adiantar novidades sobre a plataforma, afirmando apenas que a Sony é pioneira na área e a visão da companhia para esse setor ficará mais clara com a proximidade do lançamento.

No entanto, ele confirmou algo que já era esperado: o sucessor do PlayStation 4 não chegará às lojas em 2019 e, assim como aconteceu com o PS3, vários jogos serão lançados para as duas gerações simultaneamente. Por enquanto, a ordem é segurar as expectativas pelo menos até 2020.

Tecmundo