Greve nacional da educação tem pautas como Lula Livre

“Greve da Educação: paralisação deve atrair manifestantes para protestos contra o contingenciamento de verbas às universidades federais.| Foto: Hedeson Alves

Camisetas vermelhas, bandeiras de movimentos sociais e de partidos comunistas. Esse é o cenário das manifestações que estão acontecendo nesta quarta-feira (15) em vários estados do país. Estudantes paralisaram universidades para bater em um espantalho: o contigenciamento da verba para a educação anunciado pelo governo federal.

O que não está sendo veiculado pela “grande” mídia é o real objetivo dessa paralisação. Militantes esquerdistas convocaram a greve alegando que seriam amplamente prejudicados por um presidente fascista e disposto a evitar o progresso na educação.

CONGRESSO

Membros de partidos como PT, PSOL e PCdoB centralizaram no Congresso os pronunciamentos em defesa das mobilizações do dia 15. As legendas detêm significativa influência no ambiente universitário, com a presença forte em instituições como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e sindicatos de professores de faculdades públicas.

A conexão entre os partidos e as organizações despertam uma preocupação, entre integrantes da esquerda, de que manifestações da paralisação nacional da educação acabem ofuscadas por protestos contrários a práticas do governo Bolsonaro acabem “apropriadas” por lideranças que inseriram nas mobilizações pautas como a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.