Presidente da OAB compara Lava Jato com a Inquisição

Dois dias após o site The Intercept publicar supostas mensagens relacionadas à Operação Lava Jato, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, não poupou de críticas os nomes citados na reportagem.

Santa Cruz repudiou a atuação do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e do procurador da República, Deltan Dallagnol, revelada na troca de mensagens obtida através da ação de cibercriminosos.

Em nota divulgada ainda nesta segunda-feira (11), a entidade defendeu o afastamento temporário de ambos de seus cargos. O posicionamento da OAB gerou críticas intensas nas redes sociais.

Em conversa com o blog Radar, na revista Veja, Santa Cruz declarou:

“O que vimos ali foi um poder arbitrário. Uma permissividade contra um cliente.”

E acrescentou:

“Imagina isso se voltar contra quem não pode se defender. Quase uma Inquisição. Um sentimento de desequilíbrio. A operação mais importante do país desrespeitou o equilíbrio entre os poderes.”