Sem emendas para saúde, Wilker explora problemas que vêm desde Amazonino

Sem emendas para saúde, Wilker explora problemas que vêm desde Amazonino

O deputado estadual Wilker Barreto (PHS) atribui ao governo estadual problemas que, até 2018, passavam despercebidos ao parlamentar, já que, à época, era aliado de Amazonino Mendes, ex-governador do Amazonas. O partido de Wilker foi um dos maiores doadores da campanha em que Amazonino, candidato a reeleição no ano passado.

Vereador em 2018, Wilker não escondia a afinidade com Amazonino que, teve suas contas reprovadas pelo Tribunal de Contas (TCE), por má gestão. O partido de Barreto foi o segundo maior doador da campanha de Amazonino, destinando R$1,650 milhão à eleição do ex-Governador. Eleição esta em que o candidato saiu derrotado.

Segundo informações, Wilker ainda não destinou via emendas, verbas para a compra de medicamentos na saúde, área pela qual ele demonstra predileção, visto que o parlamentar tem realizado inumeras visitas surpresas à unidades de saúde.

Patrimônio aumentou consideravelmente em 10 anos

O Deputado Wilker Barreto aumentou seu patrimônio em quase 850%, entre 2008 e 2018, saindo de R$ 106 mil, para R$1,002 milhão, atualmente.

O acréscimo é incompatível com o salário pago a um parlamentar. Como Wilker não declarou cotas em empresas, em sua declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2018, a população quer saber: de onde veio o dinheiro?

Eleições 2008
Eleições 2018

TRF-1 concede alvará de soltura a ex-primeira dama Nejmi Aziz

TRF-1 concede alvará de soltura a ex-primeira dama Nejmi Aziz

A ex-primeira-dama Nejmi Aziz deixou o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) no km 8 da BR-174, na tarde de domingo, dia 21.

O alvará de soltura foi concedido pelo Tribunal Rgional Federal (TRF-1) em Brasília.

Nejmi foi presa na última sexta-feira, dia 19, pela Polícia Federal durante a Operação Vertex, nova fase da operação Maus Caminhos, que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de capitais e pertinência a organização criminosa.

Crime no HPS João Lúcio e Joãozinho: enfermeiros da Coopenure jogam fora insumos e apagam registros de pacientes para dificultar trabalho de nova empresa

Crime no HPS João Lúcio e Joãozinho: enfermeiros da Coopenure jogam fora insumos e apagam registros de pacientes para dificultar trabalho de nova empresa

Conversas vazadas de um grupo de WhatsApp de enfermeiros ligados à Coopenure, cooperativa de enfermeiros que deixa de prestar serviço ao Estado nesta sexta-feira, mostram que os profissionais atuaram para dificultar o trabalho da equipe da nova empresa que assume o serviço na rede estadual, após ganhar licitação.

As conversas e imagens compartilhadas no aplicativo de mensagens (confira abaixo) mostram um trabalho conjunto de enfermeiros da Coopenure, que atuavam no Hospital e Pronto Socorro (HPS) João Lúcio e no Joãozinho, para apagar arquivos nos computadores das duas unidades; substituir pastas com registros de pacientes em macas; retirar materiais de área de reabilitação; jogar fora algodão e jarras, e, entre as coisas mais graves, desmontar sistemas de aspiração e jogar fora potes de nebulização usados no atendimento de crianças no HPS Joãozinho.

O conteúdo das conversas, com imagens, é gravíssimo, pois, se comprovado, coloca em risco a vida de adultos e crianças atendidos nas duas unidades.

A Coopenure prestava serviço de enfermagem nas unidades de saúde do Estado há quase 20 anos e, em licitação realizada este ano, perdeu a concorrência por apresentar preço muito acima da nova empresa, a Segeam (Serviços de Enfermagem e Gestão em Saúde do Amazonas).

Nejmi vai para o CDPF e irmãos de Omar Aziz para CDPM 2

Nejmi vai para o CDPF e irmãos de Omar Aziz para CDPM 2

A ex-primeira-dama do Amazonas, Nejmi Aziz, presa temporariamente nesta sexta-feira (19), durante a Operação Vertex, será transferida para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus – Boa Vista). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap).

Ainda conforme a Seap, os irmãos do senador que também foram presos, que são Amin, Murad e Mansour Aziz, serão encaminhados para o Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM 2), também localizado na BR-174. O órgão, até o momento, não informou se os envolvidos ficarão em celas especiais nas unidades de detenção.

Segundo a Polícia Federal, os presos passaram por exame de corpo de delito na sede da Superintendência da PF, localizada no bairro Dom Pedro, na Zona Oeste de Manaus. Eles devem ser conduzidos ainda hoje para as penitenciárias. 

Omar envolvido

O senador Omar Aziz é um dos alvos da operação Vertex, deflagrada na manhã de hoje pela Polícia Federal. O político não foi preso com os integrantes da sua famílias, mas está proibido de ter contato e de deixar o País.

A assessoria de imprensa do senador foi contatada e informou que Omar ainda não teve acesso aos autos do processo. Ele aguarda o seu advogado ter acesso para poder se manifestar sobre o caso. 

Investigações

De acordo com a Polícia Federal, há indícios de que os investigados e alvos de mandados de prisão recebiam como vantagens indevidas dinheiro em espécie frutos de contratos de aluguel simulados, funcionando como ‘interpostos’ para dissimular a origem do dinheiro.

Os imóveis alugados sequer eram ocupados mas os valores eram recebidos, o que, segundo o delegado, seria uma forma de ocultar a entrega de dinheiro por meios de contratos ‘de fachada’. Além disso, segundo Alexandre Teixeira, há indícios de superfaturamentos em vendas de terrenos e nota fiscais de serviços que sequer foram prestados, porém foram pagos. 

O delegado federal Alexandre Teixeira destacou que o Instituto Novos Caminhos assumiu a gestão de unidades de saúde do Estado quando Omar Aziz era governador e José Melo, preso em outro desdobramento da Maus Caminhos, a operação Custo Político, era vice. No entanto, Teixeira foi cauteloso ao ser questionado se Omar comandava as ações do grupo. “Estamos na fase de investigação, não queremos imputar este comando”, esquivou-se.

Acrítica

Bolsonaro minimiza ameaça de grupo terrorista

Bolsonaro minimiza ameaça de grupo terrorista

O presidente da República, Jair Bolsonaro, comentou que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) tinha conhecimento sobre o plano de atentado terrorista pelo grupo Sociedade Secreta Silvestre (SSS).

O assuntou voltou a ganhar desta que na imprensa brasileira após a revista Vejapublicar entrevista com um dos líderes da SSS, que seria o braço brasileiro do grupo Individualistas que Tendem ao Selvagem (ITS), organização internacional que se apresenta como eco-extremista.

Durante café da manhã com jornalistas internacionais no Palácio do Planalto, nesta sexta-feira (19), o chefe do Executivo declarou:

“O GSI já tinha conhecimento. Risco de atentado a mim ou a qualquer líder mundial sempre vai existir.”

O GSI, comandado pelo ministro Augusto Heleno, é o responsável pela segurança direta da Presidência do Brasil.

A pasta cuida da proteção direta do presidente e do vice, da organização de viagens nacionais e internacionais e da vigia dos palácios do Planalto e da Alvorada.

O terrorista entrevistado pela revista, identificado como “Anhangá”, informou que o plano para matar Bolsonaro é real e começou a ser elaborado após as eleições.

Contou ainda que o ataque era para ter sido executado no dia da posse, mas o esquema de segurança teria feito com que o grupo adiasse a investida.



Governo libera R$ 18,3 milhões a fornecedores de medicamentos

Governo libera R$ 18,3 milhões a fornecedores de medicamentos

O Governo do Amazonas liberou esta semana R$ 18,3 milhões para pagamentos de fornecedores de medicamentos e produtos hospitalares da Central de Medicamentos (Cema). A iniciativa tem reflexo positivo no abastecimento. O Governo trabalha para aumentar ainda mais o estoque da Cema que, em janeiro desse ano, era de 12%, e já atingiu 50%.

O secretário de Estado de Saúde, Rodrigo Tobias, ressalta que a Susam também tem feito destaque direto aos gestores das grandes unidades para que realizem compras emergenciais. “As unidades têm essa possibilidade de comprar aquele item em pouca quantidade, até normalizar o estoque da Cema. Assim, o paciente não tem seu atendimento comprometido”.

Houve, inclusive, aumento no valor do destaque, de R$ 300 mil para R$ 600 mil,  para as grandes unidades, como Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lucio e HPS 28 de Agosto.

Parceria PNUD – O Governo aposta, ainda, na parceria com o Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD), órgão da Organização das Nações Unidas, cuja finalidade é  promover o desenvolvimento e erradicar a pobreza no mundo.

Essa semana foi encaminhada uma lista de 69 itens de medicamentos de alto custo, do padrão Cema, para cotação no PNUD. São produtos que a organização internacional, sem fins lucrativos, afirma vender com preço muito abaixo do mercado.  A parceria é uma alternativa às licitações desertas ou fracassadas.

“Além de economicidade, teremos alternativa de compra de produtos para os quais não temos Ata de Registro de Preço”, disse o coordenador da Cema, Antônio Paiva.

A Susam também discute com estados da região Norte, com intermediação do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a possibilidade de compra em consórcio, também com vistas à economicidade e maiores alternativas de compra.

Estoque de medicamento para psoríase é regularizado

A Cema, por meio do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf-AM), informa que regularizou o estoque da Acitretina 10mg. O medicamento é usado no SUS para tratamento de psoríase, pitiríase, ictioses, eritrodermia e outras malformações congênitas especificas da pele.

No Amazonas, 104 pacientes cadastrados no Ceaf-AM recebem a Acitretina 10mg. “O fabricante suspendeu a produção da medicação e uma nova empresa passará a produzir. Mas, enquanto isso não acontece, num grande esforço, conseguimos viabilizar a compra do medicamento e garantir atendimento aos nossos usuários”, afirmou Antônio Paiva.

FOTO: Roberto Carlos/Secom


Revista Veja entrevista terrorista que planeja assassinato de Bolsonaro

Revista Veja entrevista terrorista que planeja assassinato de Bolsonaro

revista Veja afirma ter realizado uma entrevista com um integrante do grupo Sociedade Secreta Silvestre (SSS), que se apresenta como braço brasileiro do Individualistas que Tendem ao Selvagem (ITS), uma organização ecoextremista internacional investigada por promover ataques a políticos e empresários em vários países. 

O terrorista entrevistado identifica-se como “Anhangá”. A conversa foi feita pela deep web, uma espécie de submundo da internet que é utilizada como meio de comunicação por criminosos de várias modalidades.

Anhangá garante que o plano para matar Bolsonaro é real e começou a ser elaborado desde o instante em que o presidente foi eleito. Era para ter sido executado no dia da posse, mas o forte esquema de segurança montado pela polícia e pelo Exército acabou fazendo com que o grupo adiasse a ação.

“Vistoriamos a área antes. Mas ainda estava imprevisível. Não tínhamos certeza de como funcionaria”, afirma o terrorista.

Ainda de acordo com “Anhangá”, além de Bolsonaro, os ministros Damares Alves (Direitos Humanos) e Ricardo Salles (Meio Ambiente) também estão na mira do grupo terrorista.

Ainda segundo a revista Veja, os investigadores descobriram que um grupo havia monitorado durante algum tempo a rotina de um dos magistrados do Supremo Tribunal Federal (STF), cujo nome é mantido em sigilo, e de sua família, que mora em São Paulo.

Os terroristas em ação no Brasil vêm sendo monitorados pelas autoridades há algum tempo. Em dezembro, depois da ameaça ao presidente Bolsonaro, a Polícia Federal (PF) decidiu pôr no caso os melhores agentes da seção antiterrorismo. Os policiais já seguiram várias pistas. Três suspeitos chegaram a ser presos. Mas os integrantes do grupo ainda não foram identificados.

Anhangá provoca: “[Eles] são incompetentes […] Não somos meros amadores, dominamos técnicas de segurança, de engenharia, de comportamento social. […] Discutimos internamente com membros de outros países”.


PF cumpre mandados de prisão em Manaus em nova fase da Maus Caminhos

PF cumpre mandados de prisão em Manaus em nova fase da Maus Caminhos

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na capital do Estado, Brasília e São Paulo, na manhã desta sexta-feira (19), a operação ‘Vertex’, desdobramento da operação ‘Maus Caminhos’. Entre os alvos da ação que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de capitais e organização criminosa, esta a casa do ex-governador e atual senador, Omar Aziz, e da ex-primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, no Condomínio Residencial Ephigênio Salles, bairro Aleixo.

A investigação foi desmembrada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em razão dos indícios detectados de recebimento de vantagens indevidas pelo ex-governador e atual senador, que tem direito a foro por privilegiado no STF.

Em razão do entendimento do Supremo de que foro por prerrogativa de função conferida aos deputados federais e senadores se aplica apenas a crimes cometidos no exercício do cargo e em razão das funções a ele relacionadas, o ministro Dias Toffoli determinou a remessa da investigação ao juízo de 1ª instância, sendo que, em janeiro de 2019, a investigação foi retomada.

Governador Wilson Lima vai retomar programas educacionais parados há mais de sete anos

Governador Wilson Lima vai retomar programas educacionais parados há mais de sete anos

O Governo do Amazonas vai retomar programas com investimentos federais na área da educação, que estavam estagnados por falta de iniciativa de gestões anteriores em desenvolver planejamentos para aplicação dos recursos. Os programas são viabilizados pela parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Governo Federal, que repassa recursos para os Estados por meio de programas em caráter constitucional e voluntário. Somados, os repasses são da ordem de R$ 255.756.942,86.

O governador Wilson Lima participou, na manhã desta quinta-feira (18/07), da abertura do evento de capacitação do FNDE em Manaus, realizada no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques, zona centro-oeste da capital. Técnicos federais estão na capital, realizando capacitação técnica para os gestores educacionais. O presidente do FNDE, Carlos Alberto Decotelli da Silva, e o secretário de Educação do Amazonas, Luiz Castro, também estiveram no evento.


“O presidente e os técnicos vieram ao Amazonas em um momento muito oportuno, em que estamos direcionando nossas prioridades e tornando mais eficientes os gastos com o dinheiro público. Nós identificamos, na área da educação, alguns recursos que podem ser melhor utilizados ou que podem ser aplicados. Alguns recursos que, inclusive, estão em conta e que não são utilizados pela falta de um projeto, de uma orientação”, disse Wilson Lima.

O governador destacou que a presença dos técnicos é importante para elevar a qualidade da educação básica, respeitando as particularidades do Amazonas. “Até para que entendam melhor a nossa realidade e orientem prefeituras e secretários do interior, de que forma esses recursos podem ser melhor aplicados no transporte, na alimentação. Isso é de suma importância para a educação básica”, enfatizou.

Repasses estaduais – Ao todo, a Seduc executa oito programas, um convênio (o Censo Escolar) e 12 termos de compromisso. Os repasses envolvem desde recursos para merenda e transporte até despesas de custeio para manutenção de turmas na capital e no interior.

Os repasses para programas de caráter constitucional são obrigatórios, destinados à merenda escolar, transporte e educação básica. São eles: Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) e Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).

Para os programas voluntários, os repasses são firmados por programas e termos de compromisso. No Amazonas, esses programas são: Projovem Campo, Projovem Urbano, Proeti (educação em tempo integral), Brasil Alfabetizado e Programa de Educação de Jovens e Adultos. A maior parte dos recursos é destinada às despesas de custeio para manutenção de novas turmas.

Os repasses para programas constitucionais são da ordem de R$ 69.218.333,43. Para os programas voluntários, o repasse é de R$ 186.538.609,43.

O secretário de Educação, Luiz Castro, avalia que os programas estagnados trouxeram perdas para o desenvolvimento da qualidade do ensino no Amazonas. “Com certeza as perdas foram muito grandes na área de infraestrutura, dos programas pedagógicos, na capacitação e no regime de colaboração com os municípios. Há recursos parados de mais de sete anos, de 2012. Isso representa perda de oportunidades. Nós estamos agora numa grande crise financeira, e esse dinheiro faz falta. Precisamos aplicar bem esses recursos, e essa é a razão da vinda do FNDE”, pontuou Castro.

O presidente do Fundo, Carlos Alberto Decotelli da Silva, ressaltou que o Brasil é referência em programas como o de alimentação escolar. “O PNAE é considerado o melhor programa do mundo nesta área. Outros 17 países já vieram ao Brasil para adaptar os moldes do programa a outras realidades, verificar como nós fazemos a elevação da qualidade da alimentação para melhorar o aprendizado escolar. Em algumas regiões do Brasil, a merenda escolar é a principal refeição dos alunos”, frisou.

Capacitação – Ao todo, serão cerca de 15 horas de atividades e atendimento individualizado para gestores e técnicos de prefeituras e secretarias de educação. Entre os assuntos que serão abordados, estão: a prestação de contas, monitoramento e execução de obras; Plano de Ações Articuladas (PAR); Programa Dinheiro Direto na Escola; e alimentação escolar.

“Isso é importantíssimo, esse momento de treinamento das equipes técnicas estaduais e municipais. Ninguém quer que nenhuma verba fique parada, enquanto a educação precisa de muito investimento”, disse Silvana Morais, assessora de Planejamento da Seduc-AM.

A capacitação, que continua nesta sexta-feira (19/07), chega a todos os municípios do interior do estado, por meio de transmissão ao vivo, feita pelo Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), da Seduc-AM.

FOTO: Claudio Heitor e Diego Peres/Secom


Bolsonaro vai exigir Ficha Limpa de 100 mil comissionados

Bolsonaro vai exigir Ficha Limpa de 100 mil comissionados

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deve assinar, nesta quinta-feira (18), um decreto que aumenta para 100 mil o número de cargos comissionados que precisam estar enquadrados na Lei da Ficha Limpa.

A medida faz parte das ações que marcam os 200 dias do mandato de Bolsonaro. Uma cerimônia está marcada para às 16h no Palácio do Planalto, em Brasília.

No mês de março, o governo já havia editado decreto prevendo essas exigências para apenas parte dos comissionados. Com a ampliação, mais 100 mil cargos passarão a ser submetidos às novas regras.

Com o novo decreto, ao qual o jornal O Globoteve acesso, entram nessa lista sete tipos de cargos, incluindo cargos de confiança em universidades, indicações para agências reguladoras, funções gratificadas (apenas para servidores) e até ministros.